Seja bem-vinda de volta a nossa comunidade virtual, Adriana Wossgraus!

Afinal, quem é você? Interrogação de uma pessoa

Prezada Adraina… desconheço você e que bom que você voltou, fez falta por alguns segundos! Sei que você é mais um braço da irmandade na cidade. Não sei ao certo se você veste calça ou saia, mas como tanto falas e defende as terras das calcinhas, aqui tudo é possível e não me importa o seu gênero. Você foi denunciada, ou melhor, seu perfil no facebook foi suspenso, interrompida, morta por um determinado período e isso prova que ~talvez~ você não exista. Se você é mesmo de verdade, de Ilhota não és, certo? Se talvez exista e não for um fake, como tanto afirmas, deduzo que trabalhes no gabinete ou na assessoria daquele moço vereador lá de Gaspar e de lá resides.

Me estranha muito o seu comportamento… Manterei moderações em meus comentários, postagens e conversas sobre você e seus demais entes queridos e correligionários. Estou intuindo que você é uma pessoa de raras palavras, pouco diálogo e raciocínio lógico, entre outras interpretações, diferente. Algo curioso acontece em Ilhota, mas não sei ao certo do que se aventa! Estranho não é já que tudo isso faz parte de um grande pacto, de uma imensa arquitetura. Que Deus esteja contigo ~amiga~. Iluminada e irradiante sejam seus olhos e passos. Que nosso Senhor o livra do fogo do inferno, assim como todos aqueles que você tanto defende. Tome cuidado com certas curtidas e apoios que ganhas, pois nada disso enche barriga nem paga sua internet e desculpe minha obstinação em lhe impacientar-se! A oração transforma as pessoas, apenas isso transforma…

A política Adriana é um sistema do mundo por excelência, onde homens caídos tentam governar outros homens igualmente caídos. Deus me enviou ao deserto e lá o conheci e ficarei. Me despeço com esse versículo, talvez conheça, é bem popular e diz assim… “Quando o justo governa, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme”.

O mundo sem facebook é possível e ele existe!

Você usa Android? O governo dos EUA lê as suas mensagens de texto e sabe a senha do seu Wi-Fi

Cuidado! O Obama está lendo o seu e-mail... A charge mostra uma pessoa encurralada por eletronicos e por um grande olho na janela de casa a juncao das palavras forma a frase: "você pode confiar no governo"

Sabendo de todos esses esquemas, eu adquiri um smartphone e uso um BlackBerry que é impossível quebrar a chave criptográfica e recomendo!

O Android tem uma função, chamada “Back up my data”, que é muito prática. Ela salva automaticamente, nos servidores do Google, vários dados do seu celular: mensagens de texto, registro de ligações telefônicas, bookmarks do navegador, nomes e configurações dos seus aplicativos e senhas das redes Wi-Fi que você usa. Isso é bom porque, quando você trocar de aparelho, não precisará instalar e configurar tudo de novo – bastará digitar sua senha do Google, e todas as informações serão baixadas para o telefone novo.

Mas também há um lado ruim. Essas informações são armazenadas pelo Google sem criptografia (codificação de dados) – e podem ser facilmente acessadas pelo FBI e pela NSA, a agência de espionagem do governo americano. O recurso já vem ativado de fábrica em alguns aparelhos, mas não todos. Se você quiser saber qual é o estado do seu, entre no menu de configurações do Android e procure a opção “Backup & reset”. Se o backup automático estiver ativado, aproveite e mande um alô para as autoridades dos EUA.

PS: ao contrário do que acontece no Android, os backups do iOS são criptografados.

Notícia chupada da Revista Superinteressante.

 

O gigante adormecido acordou… #OGiganteAcordou

dcvitti e chega de corrupção

Em todo o planeta, milhões de pessoas de todas as idades estão tomando as ruas e se mobilizando online para dizer não à corrupção e à injustiça e pedir um mundo melhor. Uma hashtag do Twitter no Brasil pode sintetizar a história: #OGiganteAcordou.

E, em quase todos os lugares em que isso está acontecendo, a Avaaz – hoje com a força de quase 25 milhões de membros! – está presente. Para dar apenas um exemplo: o Senado brasileiro citou repetidamente nossa comunidade na semana passada, enquanto votava a proposta para facilitar a lei de iniciativa popular, reduzindo para 500.000 a quantidade de assinaturas necessárias para se apresentar novas propostas de leis no Congresso.

Estamos crescendo em mais de 1 milhão de novos membros por mês, cada vez mais rápido. Na medida em que mais cidadãos despertam, estamos nos dando conta de que o mundo é realmente nosso. E, embora tenhamos grandes desafios pela frente, o futuro depende de todos nós.

É incrível poder fazer parte de uma comunidade composta por cidadãos de cada pedacinho do mundo, unidos por ações comuns e efetivas. Clique aqui para ver um mapa dos nossos membros por país ou aqui para ler relatos pessoais de nossos membros e até para se corresponder com outras pessoas que fazem parte desta comunidade.

Nosso gigante adormecido está caminhando, trazendo possibilidades tremendas de mudança. Mal podemos esperar para ver o que nossa comunidade fará daqui para a frente.

Com amor, esperança e uma gratidão enorme por esta comunidade capaz de mudar o mundo, Ricken, Jamie, Oli, Alex, Dalia, Joseph, Laura, Mais, Michelle e o restante da equipe da  Avaaz.

PS: Inspirado para mudar algo? Muitas campanhas da Avaaz (como as nossas maiores campanhas durante os protestos no Brasil e na Turquia) foram criadas por membros da nossa comunidade! Crie agora a sua campanha sobre qualquer tema – local, nacional ou global: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?bgMYedb&v=26859.

PPS: Cada uma dessas campanhas foi 100% financiada por doações da nossa comunidade. Para manter nossa independência, a Avaaz não aceita doações de governos, corporações, fundações ou em grandes somas. Isso é algo extremamente raro e uma das maiores razões para a nossa eficácia — entre com sua parte, para que tudo isso continue sendo possível: http://avaaz.org/po/reportback_0713/.

Quando nos juntamos e permanecemos juntos, nós vencemos. Confira abaixo as vitórias e atualizações das últimas semanas:

Brasil diz NÃO à corrupção e SIM à uma democracia do século XXI

Entrega de 1,6 milhão de assinaturas ao Senado brasileiroOs brasileiros estão dando um basta à corrupção desenfreada. Primeiro foi a campanha da Lei da Ficha Limpa, de enorme sucesso, que tornou inelegíveis os políticos condenados por órgãos colegiados da Justiça. Estudos mostram que a Avaaz desempenhou um papel fundamental nesta conquista. Recentemente, um membro da Avaaz criou uma das maiores petições online da história do Brasil, com mais de 1,6 milhão de assinaturas exigindo que os senadores removam o presidente do Senado do poder, um político duvidoso com uma série de acusações de corrupção. Ele ainda está no poder, mas estamos muito perto de acabar com o processo de votação secreta que lhe permitiu obter sua posição no Senado.

Melhor ainda: o Senado acabou de aprovar uma proposta para tornar mais fácil e mais rápido a possibilidade dos cidadãos forçarem os políticos a agir. A Avaaz foi citada várias vezes durante o debate no Senado, quando eles concordaram em reduzir pela metade o número de assinaturas necessárias para leis de iniciativa popular, e determinaram que as assinaturas online serão válidas. Agora, estamos fazendo de tudo para fazer a Câmara selar esse acordo.

Bangladesh: Esperança dos escombros

Jornal sueco destaca o nosso anúncio contra a H&M que foi proibidoQuando o prédio de uma fábrica de roupas em Bangladesh desabou, matando mais de mil pessoas, a Avaaz juntou forças às organizações de direitos trabalhistas locais para colocar pressão em dois grandes nomes da indústria internacional da moda. O objetivo: fazer com que eles assinassem um acordo de proteção dos trabalhadores que serviria de modelo para o restante do mundo.

Os membros da Avaaz cobriram as páginas da H&M e GAP no Facebook com mensagens. E, quando nossos anúncios publicitários voltados ao presidente da H&M foi rejeitado na Suécia – país de origem da empresa – deu-se início à um grande debate na mídia e online. Executivos de alto-escalão da H&M falaram por telefone com a Avaaz e, 3 dias depois, eles assinaram o acordo. Isso motivou mais de 75 outras marcas a seguirem este exemplo!GAP e Walmart ainda não estão na lista dos que assinaram o acordo, mas a campanha ainda está ativa!

Vitória para as abelhas na Europa!

Vento, chuva e neve: mantivemos a pressão para salvar as abelhasApós mais de dois anos realizando campanhas, tivemos um papel fundamental para fazer com que a Europa proibisse pesticidas letais para as abelhas, pelo menos até 2015! Conseguimos essa vitória após dois anos de ações, em que inundamos ministros com emails, juntamos mais de 2,6 milhões de assinaturas, organizamos protestos com criadores de abelhas (com a presença de uma abelha inflável gigante de 5 metros de altura), financiamos pesquisas de opinião pública, e muitas outras ações.

Esta tem sido uma longa batalha contra grandes corporações como a Bayer, e nada disso seria possível se não fosse pela colaboração de muitos cientistas, especialistas no assunto, funcionários de governo que apoiaram a campanha, criadores de abelhas e grupos ambientalistas. De acordo com a organização Amigos da Terra: “A enorme petição da Avaaz e as suas campanhas criativas ajudaram a levar essa campanha até o final.”

Impedindo a remoção forçada do povo Masai

1,7 milhão de membros da Avaaz apoiam o direito do povo Masai de viver em suas terras ancestraisO governo da Tanzânia queria realizar uma remoção forçada de várias famílias, teoricamente para que turistas ricos pudessem caçar leões e leopardos! Mas 1,7 milhão de nós nos juntamos para dizer “não”, alertando as redes de televisão CNN e Al Jazeera para cobrirem essa história, e lançando anúncios publicitários com foco no governo da Tanzânia em jornais locais, além de pressionar os doadores de ajuda financeira internacional para que fizessem perguntas à Tanzânia sobre a tentativa de remoção. O presidente da Tanzânia, Jakaya Kikwete, não queria ouvir as vozes em protesto, mas os Masai continuaram perseverantes. Finalmente, quando membros do povo Masai foram ao parlamento da Tanzânia e exigiram que o direito deles de viver em terras ancestrais fosse respeitado, o Primeiro-ministro assinou uma carta prometendo buscar uma solução permanente para o conflito em conjunto com os Masai. Até agora conseguimos impedir a remoção, mas continuaremos a lutar até que o presidente Kikwete desista de uma vez desta ideia.

Indo muito além da fracassada guerra às drogas

Presidente da Guatemala Pérez Molina diz SIM pelo fim da fracassada guerra às drogasAs vozes de centenas de milhares de membros da Avaaz de toda as Américas exigiram dos líderes que fossem adotadas políticas mais humanas em relação às drogas. O resultado foi umadeclaração história feita pela OEA (Organização dos Estados Americanos) que sugere ir além da proibição e combater as drogas como uma questão prioritária de saúde, não uma missão militar.

Nossa petição teve um papel fundamental. Entregamos as assinaturas diretamente ao presidente da Guatemala, Otto Pérez Molina, diante de toda a mídia. Molina explicou a nossa estratégia com suas próprias palavras: “Agradecemos à Avaaz por essa petição porque dá a nós, os líderes políticos do continente, a força que precisamos para debater essa questão sem ela ser vista como um tabu.”

Pondo um fim à guerra contra as mulheres

O ônibus rosa da Avaaz circula por Nova Délhi com o 'primeiro ministro Singh' a bordo, exigindo educação pública para combater os estuprosNa Índia, uma estudante de 23 anos foi estuprada brutalmente em um ônibus, morrendo em decorrência dos ferimentos em seguida. Nas Maldivas, uma garota de 15 anos de idade foi condenada ao apedrejamento por praticar “sexo fora do casamento”. Na Somália, uma jovem foi violentada por vários homens das forças de segurança que deveriam protegê-la.

Em cada um destes casos, os membros da Avaaz ajudaram a transformar horror em esperança, amplificando milhões de nossas vozes na mídia, para pressionar os governos a aprovar leis mais fortes que protejam as mulheres. Nas Maldivas, a nossa campanha ameaçando o setor de turismo nos ofereceu uma porta aberta para os maiores líderes políticos do país, que afirmaram que a garota não seria apedrejada por agora, e uma pesquisa encomendada pela Avaaz conquistou as manchetes, mostrando que os cidadãos desejam uma mudança nas leis. Na Índia, um grande ônibus rosa, com uma enorme representação do primeiro ministro Singh portando a nossa mensagem, circulou pelas ruas de Délhi e agora há um interesse crescente pelo nosso apelo por uma campanha massiva de educação pública que desafie atitudes retrógradas em relação às mulheres. Estas são apenas as pontas do iceberg em nossa luta contra a misoginia.

Salvando as Baleias de um Massacre

Entregando nosso pedido para salvar as baleias à secretária de Estado para Questões Econômicas da HolandaQuando um magnata islandês lançou sua brutal caçada de verão, com o objetivo de transformar espécies ameaçadas de baleias em comida para cachorro, a Avaaz iniciou uma campanha para impedir o envio das carcaças sangrentas para o Japão. Mais de 1,1 milhão de nós convencemos os políticos holandeses a se comprometer a fechar os portos nacionais para este carregamento. E então aparecemos outra vez na Alemanha, quando ele tentou redirecionar a carga pela cidade de Hamburgo. O Ministério do Meio Ambiente alemão respondeu às mensagens enviadas por membros da Avaaz imediatamente através do Twitter e, trabalhando juntamente com o Greenpeace, criamos pressão suficiente para enviar a carne de baleia de volta para a Islândia! O governo alemão agora pediu que o porto recuse todos os carregamentos de carne de baleia no futuro, 200.000 membros da Avaaz na Alemanha estão exigindo que a maior rede de supermercados do país pare de vender produtos ligados à empresa responsável pela caça às baleias e estamos buscando extinguir as outras rotas de lucro do caçador de baleias até que ele perceba que essa prática tem que acabar.

Combatendo a Sonegação Global de Impostos

Membros da Avaaz em ação pedindo ao Primeiro-ministro Harper que agisse contra à sonegação de impostosTodos os anos, empresas gananciosas e indivíduos muito ricos usam esquemas para esconder uma fortuna estimada em cerca de $1 trilhão, privando governos de impostos que eles precisam coletar para consertar nossos serviços públicos e nossos países. Este ano vislumbramos uma oportunidade para sair em busca dessa quantia que está faltando nos nossos cofres públicos, criamos uma enorme petição e trabalhamos junto ao famoso cantor Baaba Maal e às organizações Save the Children, ActionAid, além de outros grupos, para fazer nossas vozes chegarem a David Cameron, presidente do G8. Nossa carta, assinada por 21.000 representantes de empresas de todo o mundo, ajudou a colocar esta questão como pró-negócios e pró-cidadãos e a mudar as posições da Alemanha e do Canadá, resultando em um acordo histórico que poderá levar os governos a trabalhar em conjunto para por um fim à sonegação de impostos. A ‘Declaração Lough Erne’ foi breve quanto a questões específicas, mas nos dá uma enorme vantagem na hora de cobrar que os governos bloqueiem esquemas suspeitos para não pagar impostos.

Governo lança o Observatório Participativo da Juventude

O governo federal disponibiliza, a partir desta quarta-feira (17), o Observatório Participativo da Juventude, também chamado de Participatório, um novo canal de diálogo direto com a juventude. Por meio do endereço participatorio.juventude.gov.br, os usuários poderão participar de debates e discutir políticas e programas voltados ao público jovem. Os usuários poderão criar um cadastro ou usar seus perfis em outras redes sociais para se conectar.

“A política de juventude já nasceu com a premissa da participação social, da participação da juventude. E é um momento em que a participação precisa ser ampliada. E já que a juventude brasileira usa muito a internet como um dos instrumentos tanto de informação quanto de opinião, a gente achou importante apostar nesses viés da participação social. Isso é estar antenado com a realidade da juventude”, explicou Severine Macedo, secretária nacional de Juventude da Secretaria Geral da Presidência da República.

O Participatório vem sendo elaborado pela Secretaria Nacional de Juventude desde 2012, como resposta às demandas da 2ª Conferência Nacional de Juventude por mais e melhores informações. E o espaço virtual chega em fase de testes (beta), para que os usuários possam fazer sugestões e colaborar com o desenvolvimento da ferramenta, voltada à produção do conhecimento sobre a juventude e as políticas públicas com participação e mobilização social. Os primeiros debates serão sobre: reforma política, enfrentamento da violência contra a juventude negra e direito à cidade e ao território.