Publicação do UNESCO sobre patrimônio cultural imaterial é lançada em português

Pintura de Johann Moritz Rugendas retratanto a roda de capoeira, patrimônio imaterial do Brasil. Reprodução: domínio público

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) anunciaram, nesta terça-feira (13), a publicação da versão em português dos “Textos base da Convenção de 2003 para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial”, editado pelo UNESCO. O documento será lançado durante o II Encontro de Avaliação da Política de Reconhecimento do Patrimônio Cultural Imaterial, que acontece em Brasília, de 12 a 16 de maio.

A publicação é um instrumento de acesso rápido ao acordado na convenção e auxilia na compreensão dos dispositivos da mesma. Esta nova edição inclui também as decisões da quarta sessão da Assembleia Geral dos membros da Convenção.

Este documento é considerado um elemento chave no reconhecimento do poder transformador do patrimônio cultural. No prefácio da publicação, a diretora-geral do UNESCO, Irina Bokova, lembra que, em menos de 10 anos, a Convenção já contava com a adesão de 145 Estados-membros, “um impressionante índice que reflete a relevância de nossas ações pioneiras nessa área”.

A versão online já se encontra disponível clicando aqui.

Crise da água e as mudanças climáticas

Crise da água e as mudanças climáticas, greenpeace, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

GreenpeaceHoje, uma torneira gigante e uma fila bem incomum chamou a atenção de quem passou pela Praça da Sé e pela avenida Paulista, na capital paulistana: pessoas com baldes, bacias e canecas tentavam pegar um pouco de água. Infelizmente, a crise hídrica em São Paulo não é novidade, mas o Greenpeace quis chamar atenção para um ponto que tem sido pouco discutido: altos e baixos no padrão de chuva que são e serão cada vez mais frequentes, graças às mudanças climáticas.

A crise da água é resultado de uma série de questões como falta de cuidado das nascentes, desmatamento da mata ciliar, poluição, desperdício e má gestão. Mas não é apenas isso: a elevação da temperatura média do planeta fará com que eventos como secas sejam cada vez mais intensos e comuns. O padrão de chuvas pode mudar, e nada tem sido feito diante dessa situação.

A “estratégia” dos governantes é rezar para São Pedro encha os reservatórios. Mas é preciso fazer mais e melhor para que a população não acabe tomando banho de caneca. O poder público precisa considerar cenários de mudanças climáticas ao decidir como e quando serão feitos os investimentos e a gestão dos recursos naturais, como é o caso da água.

E você também pode ajudar. Além de economizar água em casa, você pode apoiar o Greenpeace no combate às mudanças climáticas, uma organização independente que aceita apenas doações de pessoas físicas como você. Faça parte desse time.

Junte-se a nós

Pelo fim dos conflitos na Amazônia

Pelo fim dos conflitos na Amazônia, Greenpeace, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

GreenpeaceNo Brasil, a cada dez dias uma pessoa morre por defender o direito à terra e ao meio ambiente. Somos, de longe, o país mais perigoso para as lideranças que arriscam suas vidas combatendo a devastação ambiental. O dado é da organização não-governamental Global Witness. Segundo a pesquisa, entre 2002 e 2013, 448 pessoas morreram no Brasil por defender o meio ambiente. Muito mais que o dobro do índice em Honduras, que está em segundo lugar com 109 assassinatos.

Em 2013, segundo relatório anual realizado pela Pastoral da Terra, 20 dos 34 assassinatos registrados no campo, e 174 das 241 pessoas ameaçadas de morte ocorreram na Amazônia. Lá estão 55% das Populações Tradicionais que, no ano passado, foram vítimas de algum tipo de violência.

Foi também para lutar contra essas injustiças que há mais de uma década o Greenpeace chegou à Amazônia. Na última semana, lançamos a campanha Chega de Madeira Ilegal, que pretende não só impedir que a floresta tombe, mas também lutar contra a violência à qual as pessoas que vivem na floresta são submetidas. Assine a petição da campanha Chega de Madeira Ilegal.

Garantir a sobrevivência da floresta é lutar por milhões de pessoas que dependem dela para viver. A extração ilegal de madeira na Amazônia segue a todo vapor. E, como sempre, continua gerando conflitos e ameaçando muitas vidas.

Mais de 20 mil brasileiros já enviaram mensagens à presidente Dilma e aos pré-candidatos à presidência pedindo providências para que as ilegalidades no setor – e a violência que vem nesse rastro – ganhe um ponto final. Participe.

Com a sua ajuda podemos continuar denunciando as ilegalidades e o descontrole do setor madeireiro na Amazônia. Junte-se a nós.

Junte-se a nós

Altair Hoppe é mencionado por Fátima Bernardes no #Encontro

Altair Hoppe é mencionado por Fátima Bernardes, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Mesmo não estando presente no #Encontro desta terça-feira, Altair Hoppe foi mencionado por Fátima Bernardes. Ele fez uma brincadeira, a pedido da produção do programa, para deixar vários famosos carequinhas com o intuito de promover uma campanha contra o câncer. Se você não viu, clique no link e descubra os outros famosos que entraram na campanha: http://glo.bo/1peZZ9v

Newborn no #PhotoShowSalvador – O segredo dos ensaios de recém-nascidos

Newborn com Erika Muniz no #PhotoShowSalvador, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Sabe aquelas fotos fofas, de bebês com menos de 1 mês fazendo poses lindas? Demais né? E se a gente acha lindo, imagine as mamães destes bebezinhos… É por isso que hoje o newborn é uma área da fotografia que cresce tanto. Qual mãe não quer ver seu lindo bebê eternizado neste momento único que são os primeiros dias? E você fotógrafo, pode aprender várias técnicas e cuidados com quem entende como ninguém! A Erika estará no PhotoShow, ensinando e nos encantando.

Erika Muniz é brasiliense, formada em publicidade e propaganda e completamente apaixonada por fotografia e bebês! Ganhou sua primeira câmera aos oito anos e, desde então, se especializou em fotografar pessoas, sentimentos e emoções. Em 2009, estudou em uma das maiores escolas de fotografia de Nova York, a International Center of Photography. Já em 2011, em Fallbrook, na Califórnia, participou do curso de fotografia de recém-nascido com as renomadas fotógrafas Carrie Sandoval e Brittany Woodall do estúdio Baby As Art. Hoje, é uma das grandes especialistas do Brasil em fotografar bebês, tanto recém-nascidos (newborn), como os de alguns meses. É autora do DVD Newborn – Ensaios de recém-nascidos, sucesso de venda em todo o Brasil. Acesse o Facebook e o Site de Erika Muniz.

O congresso

Chegando à sua quinta edição, o PhotoShow agora acontecerá no Teatro Sesc Casa do Comércio em Salvador, Bahia, nos dias 28, 29 e 30 de julho de 2014. Com 3 dias de evento, divididos em 11 palestras, o congresso terá mais de 27 horas de muito aprendizado e prática ao vivo. Um grande estúdio será montado para mostrar todos os segredos e técnicas para a captação e finalização de imagens.

O objetivo do PhotoShow, um dos maiores congressos de fotografia do país, é romper barreiras e eliminar obstáculos. Por isso, o evento leva a cada região do país os grandes mestres da fotografia de estúdio e casamento. Agora todo profissional poderá aprimorar ou reciclar suas técnicas e conhecimentos com os maiores especialistas em fotografia de casamento, estúdio, Photoshop e Diagramação, em um congresso qualificado, moderno e bem perto dos profissionais do Nordeste.

Inscreva-se!

acesse este link http://bit.ly/1h8ThQj e seja bem-vindo ao universo da fotografia.

Quebrando mitos: Bolsa Família também ensina a pescar

bolsa família, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Entre os mitos que rondam o Bolsa Família, o mais comum, provavelmente, é a afirmação de que o programa “dá o peixe, mas não ensina a pescar”. Aqui no Blog do Planalto você já viu que 75,4% dos beneficiários trabalham e 350 mil já se tornaram microempreendedores individuais, mas não é só isso.

Pronatec Brasil Sem Miséria é uma ação de inclusão produtiva realizada pelo governo federal para promover a capacitação técnica da população mais pobre, principalmente os que recebem o auxílio mensal do programa. Desde 2011, quando foi criado, mais de 1,1 milhão de pessoas se matricularam. A meta foi batida em março deste ano, nove meses antes do previsto.

Só no primeiro semestre de 2014 foram oferecidas mais de 760 mil novas vagas. Até junho, haverá outra negociação para a definição das vagas do segundo semestre. Até o momento, são 560 cursos de qualificação profissional oferecidos gratuitamente em 3.631 municípios. Quem participa ainda recebe alimentação, transporte e materiais escolares. Os interessados devem ter no mínimo 16 anos e estar inscritos – ou em processo de inclusão – no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, rebate o velho discursosobre dar o peixe, mas não ensinar a pescar:

Os beneficiários do Bolsa Família não são pobres por serem preguiçosos ou por não saberem como trabalhar, eles são pobres pela falta de oportunidades, de educação e pela saúde precária. Como eles podem competir com essas desvantagens? Ao dar às pessoas dinheiro para sobreviver, nós as empoderamos, incluímos e damos direitos de um cidadão em uma sociedade de consumo, afirma Campello

Poucas horas para salvar nossas eleições!

Fachada Supremo Tribunal Federal, STF, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

As eleições deste ano podem ficar sem investigações de caixa dois, compra de votos e abuso de poder econômico – todas paradas na gaveta da Justiça Eleitoral. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adotou uma regra para que o Ministério Público só inicie investigações se um juiz de direito as autorizar. Temos poucas horas para reverter essa medida e salvar nossas eleições!

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai dar a palavra final sobre isso hoje. A não ser que nos mobilizemos, nossas eleições poderão ser marcadas por abuso e corrupção e nossos votos perdidos em meio à compra de votos, dentre outras manobras possíveis.

O Tribunal se reúne em hoje à tarde e essa é a nossa última oportunidade de fazer valer a luta por eleições limpas. Juntos, nós acabamos com a PEC37. Agora, vamos fazer o mesmo com essa “lei da gaveta”. Assine a petição, envie para todos que você conhece e ela será entregue aos Ministros antes da votação: http://www.avaaz.org/po/sem_eleicoes_sujas_final/?bYLqhbb&v=39958.

A resolução do Ministro Toffoli, aprovada pelo TSE, foi criticada por autoridades do judiciário e por muita gente que defende investigações sérias. O chefe do Ministério Público defendeu a liberdade de agir da instituição e levou o caso ao STF.

A intenção do TSE ao criar a norma foi trazer mais transparência às investigações e com isso evitar processos sem fundamentação. Mas o momento do país não admite medidas que possam atrasar ou evitar punições de crimes. Enfraquecer quem tem o poder de investigar é um erro que os eleitores já mostraram que não aceitam.

Nós lutamos muito para aprovar leis como a da Ficha Limpa e para derrubar a PEC 37. Vamos proteger esses direitos que conquistamos mantendo o Ministério Público livre para investigar crimes eleitorais e assim garantir que teremos eleições limpas. Assine a petição agora e envie para todos que você conhece: http://www.avaaz.org/po/sem_eleicoes_sujas_final/?bYLqhbb&v=39958.

Fim do voto secreto, PEC 37, Ficha Limpa: juntos mostramos a todos que conseguimos proteger e melhorar nossa democracia. Vamos fazer isso mais uma vez em nome de eleições justas, limpas e fiscalizadas pelo Ministério Público.

Com esperança e determinação, Michael, Caroline, Diego, Débora, Oliver, Alice e toda equipe da Avaaz.

Mais informações

25 anos após Tiananmen, o protesto na Praça da Paz Celestial em 1989

Praça da Paz Celestial, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Repórteres Sem Fronteiras

Você não esqueceu este 04 de junho de 1989, quando, na Praça Tiananmen, o exército chinês esmagou em sangue “Primavera chinês”, que exigiu a liberdade e a democracia.

Vinte e cinco anos depois do massacre, os cidadãos chineses são privados de seus direitos mais básicos. Aproximando-se do aniversário desta data trágica, prisões de jornalistas e blogueiros está crescendo. O governo chinês revive a tradição sinistra de “confissões públicas”, como na época de Mao.

Mostrar estes chinês liberdade amorosa que eles não estão sozinhos, que nós compartilhamos as suas esperanças e estamos comprometidos em apoiá-los. Juntamente com uma só voz ao assinar nossa petição pedindo ao governo da República Popular da China aplicar a sua própria constituição, que garante a todos a liberdade de imprensa.

Meu nome está nesta lista . Qual será seu?

Christophe Deloire, secretário-geral da RSF

 

Conheça um pouco da história

Protesto na Praça da Paz Celestial (Tian’anmen) em 1989, mais conhecido como Massacre da Praça da Paz Celestial, ou ainda Massacre de 4 de Junho consistiu em uma série de manifestações lideradas por estudantes na República Popular da China, que ocorreram entre os dias 15 de abril e 4 de junho de 1989. O protesto recebeu o nome do lugar em que o Exército Popular de Libertação suprimiu a mobilização: a praça Tian’anmen, em Pequimcapital do país. Os manifestantes (em torno de cem mil) eram oriundos de diferentes grupos, desde intelectuais que acreditavam que o governo do Partido Comunista era demasiado repressivo e corrupto, a trabalhadores da cidade, que acreditavam que as reformas econômicas na China haviam sido lentas e que a inflação e o desemprego estavam dificultando suas vidas. O acontecimento que iniciou os protestos foi o falecimento de Hu Yaobang. Os protestos consistiam em marchas (caminhadas) pacíficas nas ruas de Pequim.

Devido aos protestos e às ordens do governo pedindo o encerramento dos mesmos, se produziu no Partido Comunista uma divisão de critérios (opiniões) sobre como se deveria responder aos manifestantes. A decisão tomada foi suprimir os protestos pela força, no lugar de atenderem suas reivindicações. Em 20 de maio, o governo declarou alei marcial e, na noite de 3 de junho, enviou os tanques e a infantaria do exército à praça de Tian’anmen para dissolver o protesto. As estimativas das mortes civis variam: 400 a 800 (segundo o jornal estadunidense The New York Times), 2 600 (segundo informações da Cruz Vermelha chinesa) e sete mil (segundo os manifestantes). O número de feridos é estimado em torno de sete mil e dez mil, de acordo com a Cruz Vermelha . Diante da violência, o governo empreendeu um grande número de arrestos para suprimir os líderes do movimento, expulsou a imprensa estrangeira e controlou completamente a cobertura dos acontecimentos na imprensa chinesa. A repressão do protesto pelo governo da República Popular da China foi condenada pela comunidade internacional.

No dia 4 os protestos estudantis se intensificam muito. No dia 5 de junho, um jovem solitário e desarmado invade a Praça da Paz Celestial e anonimamente faz parar uma fileira de tanques de guerra. O fotógrafo Jeff Widener, da Associated Press, registrou o momento e a imagem ganhou os principais jornais do mundo. O rapaz, que ficou conhecido como “o rebelde desconhecido” ou o homem dos tanques” foi eleito pela revista Time como uma das pessoas mais influentes do século XX. Sua identidade e seu paradeiro são desconhecidos até hoje.

Tem ideias para solucionar problemas sociais? Inscreva-se no #SGBLab

Social Good Brasil Lab, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, Social Good Brasil

Você tem até o próximo domingo, dia 25, para Inscrever-se no Social Good Brasil Lab, projeto do nosso programa Social Good Brasil. O Lab busca inovadores sociais (cidadãos, empresas e ONGs) que sonham grande e acreditam no poder das novas mídias e da tecnologia para melhorar o mundo! Aberto a pessoas de todo o Brasil.

Assista o vídeo, entenda o processo de seleção e inscreva-se. Um programa de bolsas pode custear a sua participação. Participe! sgb.org.br/lab

Mais um ‪#‎encontro‬ de Altair Hoppe com Fátima Bernardes

Mais um ‪#‎encontro‬ de Altair Hoppe com Fátima Bernardes, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Bem pessoal, meu chefe é agora é global e amanhã eu vou ver de novo o programa de Fátima. O tema dessa vez será atração física. Altair fez uma montagem do homem e da mulher perfeita com partes de várias celebridades. No bate-papo estarão o cantor Erasmo Carlos, o ator Juliano Cazzarré (Ninho da novela Amor à vida), a atriz Titina Medeiros (Geração Brasil) e o Branco Melo. Para participar do programa com comentários e mensagens bastar usar a #encontro. O programa vai ao ar às 10h40 da manhã. Vamos assistir minha gente! Pra quem não conseguir ver, logo subiremos pro youtoba. Nesta postagem, publicamos o vídeo em que o meu chefe apareceu pela primeira vez no programa no dia 11/04 onde Altair foi lá pra falar de beleza digital de mulheres e Photoshop.