Taxar fortunas, mas como? Tributar dos ricos para enfrentar a crise

Taxar fortunas para salvar vidas

Fundo Nacional de Emergência de R$ 100 bilhões para estados e municípios.

Ao tributar altas rendas, é possível arrecadar mais de R$ 272 bilhões para combater a crise econômica, que tem se aprofundado com a pandemia de coronavírus. Essa é a proposta da Fenafisco, em conjunto com AFD, ANFIP e manifestada na Carta Aberta TRIBUTAR OS RICOS PARA ENFRENTAR A CRISE.

O documento aprofunda o debate e aponta caminhos pelos quais podemos tornar realmente efetiva a taxação dos ricos que propomos no abaixo-assinado virtual TAXAR FORTUNAS PARA SALVAR VIDAS.

Não deixe de ler o manifesto se quiser entender mais sobre o assunto. Clique neste link e baixe o arquivo.

Ainda não assinou nosso abaixo-assinado? Não leva nem um minuto. Assine e compartilhe com os amigos: https://www.change.org/p/taxar-fortunas-para-salvar-vidas.

Se você já recebe nossos conteúdos, compartilhe esses link para que outras pessoas recebam também.

📲 WhatsApp: https://rebrand.ly/taxarfortunas.☁️ Nuvem: https://rebrand.ly/nuvemtaxarfortunas.
📲 Telegram: https://t.me/taxarfortunas.

Vamos à luta! Os trabalhadores/as não podem pagar a conta da crise! É hora de taxar fortunas para salvar vidas!

Taxar fortunas para salvar vidas

//linkangood.com/21ef897172770ca75d.js

Taxar fortunas para salvar vidas

Taxar fortunas para salvar vidas

Chamado para a ação! Taxar fortunas para salvar vidas 💰

Nesta segunda-feira, #13deAbril, foi o lançamento nacional uma campanha nas redes: TAXAR FORTUNAS PARA SALVAR VIDAS.

É muito importante que tenhamos uma arrancada com visibilidade dessa campanha através de uma grande ação de rede no Twitter e com postagens simultâneas dos materiais de divulgação em todos os canais possíveis. Por isso, contamos com o apoio das organizações com a divulgação dessa campanha em todos os seus canais de redes sociais e sites.

O principal instrumento será um abaixo-assinado virtual no Change http://chng.it/Pyv9TnLZzc que já está disponível. É muito importante que toda a militância possa se engajar na coleta de assinaturas e na divulgação da ação.

A iniciativa conta com o apoio de partidos da oposição, das centrais sindicais e de organizações da sociedade civil, além dos movimentos sociais que constroem a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo.

A estratégia principal é coletar assinaturas. Para ajudar, você poderá encontrar todos os materiais da campanha a partir de amanhã nos canais abaixo, mas estimulamos que cada organização produza materiais com sua identidade visual e com os motes da campanha.

📲 WhatsApp: https://rebrand.ly/taxarfortunas.
☁️ Nuvem: https://rebrand.ly/nuvemtaxarfortunas.
📲 Telegram: https://t.me/taxarfortunas.

Vamos à luta! Os trabalhadores/as não podem pagar a conta da crise! É hora de taxar fortunas para salvar vidas!

 

13ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos muda data e estende busca de locais para exibição

13ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos muda data e estende busca de locais para exibição

Instituições interessadas podem se inscrever até 15 de junho. Serão escolhidos até 600 pontos de exibição. Mostra foi transferida para final de 2020 e início de 2021.

Diante da pandemia da Covid-19 e da recomendação do Ministério da Saúde de isolamento social, os organizadores da 13ª Mostra Cinema e Direitos Humanos reestruturaram a execução do evento e transferiram sua realização no segundo semestre de 2020.

A Mostra – realizada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, com produção da Fundação Rádio e Televisão Educativa de Uberlândia (RTU) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) – recebe até o dia 15 de junho as inscrições de quaisquer instituições e espaços culturais de todo o Brasil que se habilitem a exibir os filmes da Mostra à pessoas que têm pouco ou nenhum acesso à cultura ou conhecimento de seus direitos.

Existem  duas possibilidades de participar como Ponto de Exibição da 13ª edição. São elas: por meio do acesso a uma plataforma on demand, ou mediante a reprodução de DVDs.

Modalidade plataforma on demand

Nessa modalidade a instituição poderá acessar o conteúdo a qualquer momento por meio de um canal digital e on-line. Em tradução livre, o termo significa “sob demanda”, o que significa que as sessões são organizadas de acordo com a realidade de cada ponto de exibição, dentro de um calendário nacional.

Para acessar a plataforma on demand, contudo, é essencialmente necessário ter acesso à internet de alta velocidade. Dessa forma, a distribuição digital através do streaming irá ocorrer de forma fluida e funcional. Por meio da plataforma, será possível ter acesso a 20 obras audiovisuais — já em fase de seleção e curadoria — em diferentes programações. São 600 vagas para instituições de todo o país, que poderão exibir dois programas da plataforma. Para mais detalhes, acesse a Convocatória de Pontos de Exibição.

Modalidade reprodução de DVD

Com o acesso aos dispositivos físicos, o ponto de exibição estará apto a participar do Circuito Difusão. Nesta alternativa, a instituição terá acesso a oito obras audiovisuais e poderá manter os arquivos como recurso didático para a circulação em suas respectivas cidades e regiões. São 2 mil vagas para instituições de todo o país! Para conhecer mais detalhes, leia a Convocatória de Pontos de Difusão.

Da mostra

Além dos suportes de exibição, as duas convocatórias possuem outras diferenças no prazo de promoção da Mostra Cinema e Direitos Humanos. As instituições com acesso à plataforma on demand deverão realizar as exibições entre os meses de novembro e dezembro de 2020. Já os locais candidatos ao Circuito Difusão devem se disponibilizar a efetivar as exibições em janeiro e fevereiro de 2021.

Caso tenha interesse, a instituição poderá participar dos dois processos convocatórios. Desta forma, terá acesso integral, em um primeiro momento, às 20 obras audiovisuais e, posteriormente, poderá contar com parte das obras para o seu acervo cultural. A inscrição, contudo, não garante a imediata seleção das instituições nas duas opções. Daremos prioridade ao maior alcance possível de parcerias em todo o território nacional.

ServiçoAberta as inscrições para a 13ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

As inscrições estão abertas até o dia 15 de junho e podem ser feitas  gratuitamente através do site.

A renda básica foi sancionada, mas cadê o dinheiro?

Jair Bolsonaro coletiva

Depois de muita pressão na campanha #PagaLogoBolsonaro, o presidente finalmente sancionou o projeto da renda básica de emergência para as famílias mais pobres!

Mas ainda resta saber a partir de quando os pagamentos serão feitos, como se dará o repasse e outros detalhes para tornar a renda básica uma realidade. Para isso, precisamos que Bolsonaro apresente o decreto que regulamenta esse auxílio. Só iremos comemorar quando o dinheiro estiver na conta de quem precisa!

O projeto que conseguimos aprovar no Congresso é bem melhor do que a proposta inicial do governo, de apenas R$200 para os trabalhadores autônomos. A ampliação da quantidade de beneficiários e da quantia a ser paga é fruto do barulho feito pelas mais de meio milhão de assinaturas, os milhares de emails de pressão, apoio de economistas e influenciadores e incontáveis menções à nossa campanha nas redes sociais. E, é claro, da articulação de mais de 160 organizações e movimentos envolvidos na campanha!

Assim que sair o decreto, vamos preparar uma cartilha com os detalhes sobre quem poderá pedir o auxílio (e como fazê-lo). Te enviamos o material por aqui, ok? Em tempos de fakenews, é fundamental espalharmos informações precisas por aí.

Plataforma emergencial para o enfrentamento da pandemia do coronavírus e da crise brasileira

Plataforma emergencial para o enfrentamento da pandemia do coronavírus e da crise brasileira

O que fazer para derrotar o coronavírus e proteger o povo? A esquerda responde! É esse o objetivo da Plataforma emergencial para o enfrentamento da pandemia do coronavírus e da crise brasileira lançada no dia 31 de abril.

A iniciativa é das Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, que reúnem centenas de movimentos sociais, populares e estudantis. Ela conta ainda com a adesão de centrais sindicais (CUTForça SindicalCTBUGT, CSB e Intersindical) e de partidos políticos (PTPCdoBPSOLPSB e Unidade Popular). E está aberta a adesão das diversas organizações populares do Brasil.

O documento afirma que o governo federal, sujeito de várias das propostas apresentadas, tem atuado como aliado da epidemia, em particular o Presidente da República. Jair Bolsonaro tornou-se um dos principais obstáculos a serem derrotados pelo povo brasileiro na difícil missão de superar esta crise.

O documento sistematiza as propostas mais importantes do conjunto das organizações que estão distribuídas nos seguintes eixos:

  1. Condições básicas para salvar nosso povo;
  2. Promoção e fortalecimento da saúde pública;
  3. Garantia de Emprego e Renda para os trabalhadores;
  4. Proteção social, direito à alimentação e à moradia para todos;
  5. Direito à alimentação para todas as pessoas;
  6. Direito à moradia digna; e,
  7. Reorientação da economia e da destinação de recursos públicos.

Nesse momento, a plataforma é um importante instrumento de debate em suas entidades, com seus companheiros, colegas e familiares. Pedimos seu apoio para lhe dar ampla divulgação!

Leia e compartilhe!

Bolsonaro, Guedes e Lorenzoni: os brasileiros mais pobres precisam da renda básica de emergência já para colocar comida na mesa!

Renda Básica que queremos Coronavírus 2020

Estamos quase lá! Depois de muita mobilização, o Congresso Nacional aprovou a proposta da Renda Básica Emergencial! Agora, para virar realidade, o governo federal precisa fazer sua parte e dar a canetada final: o presidente Jair Bolsonaro precisa sancionar o PL da renda básica e realizar o repasse imediato aos milhões de brasileiros vulneráveis em meio à pandemia de COVID-19.

Não temos tempo a perder: precisamos implementar uma política de renda básica de emergência para os mais desprotegidos. Abril está chegando e, com ele, vêm as contas de água, luz e aluguel. Precisamos garantir as condições para que todas as pessoas se isolem e para que possam ter dignidade nesses tempos difíceis.

Serão dezenas de milhões de pessoas recebendo o valor de 600 reais mensais por pelo menos três meses. Um impacto pequeno se comparado ao orçamento do país – mas gigantesco em relação às vidas de quem precisa escolher entre se isolar e continuar vivo ou ir às ruas garantir o pão de cada dia.

Envie agora o seu recado ao Bolsonaro, ao ministro da economia Paulo Guedes e ao ministro da cidadania, Onyx Lorenzoni e exija que paguem logo e renda básica!

Bolsonaro com coronavírus

Pressione Bolsonaro, Guedes e Lorenzoni a pagarem a Renda Básica com urgência!

Conteúdo para o envio do e-mail.

Renda Básica Emergencial: Implementação com urgência!

Prezados Presidente Bolsonaro, Ministro Paulo Guedes e Ministro Onix Lorenzoni,

O Congresso está aprovando hoje a criação de uma Renda Básica Emergencial de R$600 mensais destinada a grupos vulneráveis da população diante da pandemia da Covid-19.

A implementação dessa política é urgente: o governo federal deve agir com muita rapidez para fazer a renda básica chegar aos beneficiados pela iniciativa. É preciso transferir de imediato a todas as pessoas já cadastradas em bases de dados do governo, e também criar uma plataforma virtual de cadastro de novos nomes para evitar aglomeração de pessoas.

Escrevo para pedir que o presidente dê total prioridade à sanção do projeto da Renda Básica, e que o governo inicie o repasse logo em seguida. Como processo, reforço as sugestões da campanha Renda Básica Que Queremos:

  1. Realizar o pagamento imediato para quem já está cadastrado no Cadastro Único.
  2. Aumentar automaticamente o valor do repasse aos beneficiários do Bolsa Família para se equiparar à Renda Básica.
  3. Realizar o cadastramento on-line de quem ainda não está no Cadastro Único via Meu INSS.
  4. Para mais informações, visitem o site da campanha: http://www.rendabasica.org.br.

Conto com vocês!

Fonte

 

Vitória! Agora só falta o governo pagar a Renda Básica

Renda Básica Bolsonaro

Nossa mobilização está forte, potente e rendendo frutos: o Senado está aprovando neste momento a Renda Básica Emergencial! Agora que ganhamos a batalha no Congresso, o projeto vai pras mãos de Bolsonaro, que tem o poder de realizar o repasse imediato aos milhões de brasileiros beneficiados pela pela iniciativa. Mas até agora ele não anunciou nem quando nem como fará isso. Precisamos fazer ainda mais barulho, e pra isso criamos uma página que te permite mandar um e-mail diretamente para o Presidente e dois de seus Ministros: Paulo Guedes, na Economia, Onyx Lorenzoni na Cidadania. Agora é só você clicar neste link para pressionar Bolsonaro e sua equipe pelo pagamento imediato da Renda Básica de Emergência.

O novo coronavírus trouxe um cenário ruim pra todos, mas muito pior para alguns: as famílias mais pobres e os trabalhadores informais são os mais afetados pela crise e já estão com dificuldades pra  conseguir o básico, como colocar comida na mesa. As pessoas mais vulneráveis em meio à pandemia de Covid-19 não podem esperar nem mais um minuto. Mostre que está do lado delas e mande seu recado ao presidente Bolsonaro e seus Ministros.

O projeto que conseguimos aprovar no Congresso é bem melhor do que a proposta inicial do governo. As autoridades agora têm nas mãos um projeto que beneficia mais pessoas, com mais verba e que pode ser implementado pra ontem. Só falta eles se mexerem, por isso nosso coro será um só: #pagalogoBolsonaro!

Senadores: as famílias brasileiras precisam de apoio para enfrentar o coronavírus!

Renda Básica Coronavírus 2020

Após uma votação histórica na Câmara dos Deputados, a proposta de Renda Básica precisa da aprovação dos senadores para virar realidade. A votação está marcada para a próxima segunda feira, dia 30, às 16h. É hora de pressão aos senadores!

Não temos tempo a perder: precisamos implementar uma política de renda básica de emergência para os mais desprotegidos.

Após uma mobilização histórica, conseguimos aprovar uma Renda Básica Emergencial na Câmara dos Deputados muito melhor do que aquela proposta inicialmente pelo governo (que alcançaria muito menos gente com apenas R$200 mensais)!

Agora, precisamos da aprovação do Senado para a Renda Básica virar realidade. Os senadores têm o poder de aperfeiçoar a proposta que vem da Câmara, melhorando alguns pontos importantes: para garantir uma duração mínima de 6 meses, e incluir todos os adultos com renda familiar de até 3 salários mínimos por mês, inclusive os que tenham emprego formal.

Envie um email aos líderes dos partidos no Senado e pressione pela Renda Básica que queremos!

 

Pressione agora os líderes dos partidos no Senado!

Conteúdo para o envio do e-mail.

Renda básica: precisamos melhorar e aprovar com urgência!

Estimados e estimadas parlamentares,

A aprovação do PL n° 1066 de 2020 pela Câmara dos Deputados foi um importante passo no enfrentamento à crise gerada pelo coronavírus, e na garantia de condições de vida minimamente dignas às famílias mais pobres. Ao estabelecer um programa de Renda Básica Emergencial, o projeto oferece amparo urgente aos brasileiros mais vulneráveis e mais gravemente impactados pelos desdobramentos econômicos dessa crise.

Precisamos da aprovação, sanção e implementação dessa política com urgência, pois sabemos que a vida de milhões de brasileiros depende desse amparo antes da virada do mês e a chegada das contas.

Além disso, o texto ainda apresenta limitações significativas, e precisa receber ajustes – da forma mais rápida possível – para garantir que o apoio oferecido será adequado frente ao desafio que enfrentamos. A campanha Renda Básica que Queremos, promovida por 157 organizações e movimentos da sociedade civil com o apoio de mais de 530 mil cidadãos, dentre eles eu, identificou quatro pontos onde mudanças são necessárias e de crucial importância.

Os ajustes solicitados são os seguintes:

  1. Ampliação do prazo de duração para um período de 6 meses.
  2. Garantia de que beneficiários receberão um número de parcelas equivalente ao número de meses de duração da política, mesmo se demorarem para ter acesso a cadastro.
  3. Inclusão de trabalhadores formais (mantendo para eles o critério de renda familiar total de até 3 salários mínimos ou renda familiar per capita de até 0,5 salário mínimo).
  4. Remoção do critério eliminatório para cidadãos que, em 2018, tenham recebido rendimentos tributáveis acima de R$28.559,70.

Conto com vocês!

Ministério da Saúde cria robô para WhatsApp com informações sobre a COVID-19

Governo lança bot para WhatsApp com informações sobre a covid-19

O Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (26) um novo canal de informações a respeito da Covid-19 e da pandemia do novo coronavírus. Trata-se de um perfil automatizado no WhatsApp que tira várias dúvidas da população a respeito da doença.

O robô pode ser adicionado à sua lista de contatos por meio deste link (que funciona no celular e no WhatsApp Web) ou então pelo número +55 (61) 99938-0031. Para iniciar a conversa e receber a lista de possibilidades de conteúdo, basta iniciar o papo com um “oi”.

Em seguida, é só escolher o número relativo à informação que você deseja saber mais, como por exemplo, desde algumas explicações gerais sobre o vírus até formas de transmissão, sintomas, diagnóstico e dicas sobre o isolamento domiciliar.

Segundo o governo, durante determinados horários do dia o perfil pode levar mais de alguns segundos para responder devido à sobrecarga do sistema. Entretanto, a navegação ocorreu de forma bastante rápida durante os testes realizados pelo TecMundo.

Esta ferramenta permitirá mais um contato imediato do cidadão com as diretrizes oficiais e informações verídicas, diretamente da fonte, evitando equívocos em um momento de cuidado extremo,
disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Editora da UERJ disponibiliza livros gratuitos para download

Editora da UERJ disponibiliza livros gratuitos para download

Em sintonia com a democratização do conhecimento, valor caro a uma universidade pública, a EdUERJ disponibiliza muitos de seus títulos digitais para download sem nenhum tipo de cobrança.

Existem três maneiras de encontrar conteúdo digital gratuito da EdUERJ. No site da Editora vá para seção #Digital. Lá estão disponíveis diversos títulos, em áreas de conhecimento como educação, letras, comunicação, geografia, sociologia e ciências da saúde, entre outras. São 46 livros que podem ser baixados sem nenhum custo, bastando que o leitor crie um login.

Outro ponto de interesse para estudantes de graduação, de pós-graduação e professores é o Portal de Publicações Eletrônicas da UERJ, que é administrado pela Editora da UERJ. Nesse espaço concentra-se as revistas publicadas pelos programas e departamentos da UERJ. São cerca de 80 revistas acessíveis gratuitamente em diversas áreas do conhecimento.

O projeto também os livros digitais da EdUERJ no Portal da SciELO Livros, espaço que se propõe a ampliar a visibilidade da produção acadêmica nacional. No Portal Scielo, além de muitos livros da EdUERJ poderem ser baixados gratuitamente, eles estão em formato epub, que permite uma experiência de leitura mais dinâmica e confortável.

Os conteúdos gratuitos podem ser acessados nos seguintes links: