Cadê o prefeito que estava aqui?

Cadê o prefeito Dida

Aqui, entre nós! Respeito a opinião e o posicionamento da Prefeitura de Ilhota, e até achei louvável e correta a justificativa da Diretora geral da Águas de Ilhota, a Mayara. Nada contra a ela, mas quem deveria se pronunciar, estar na linha de frente, recebendo as reclamações da turma, era e deveria ser o próprio prefeito Dida Oliveira, que está calado, mundo e finge não enxergar o caso que se instalou na cidade. Mas ele se esconde e bota os outros pra receber tijoladas.

A Atlantis se reporta para a Águas de Ilhota, a autarquia para o Prefeito e o Prefeito para a população. Seria assim se tivéssemos um protocolo de boas maneiras e diplomacia com a coisa pública, mas não é! Vejo tantos outros prefeitos fazendo lives, se justificando com a comunidade disso ou daquilo, e o de Ilhota? O da Ilhota se esconde! Deve estar em isolamento social, enquanto o povo se ferra… só pode.

E assim né… o Prefeito está a tantos dias sem emitir um pronunciamento sobre o agravante da água e o avanço do coronavírus na cidade. Não queremos saber as justificativas dos seus subordinados, queremos ouvir da boca do Prefeito como ele vai tirar Ilhota desse atoleiro. Vale lembrar que o responsável por tudo isso é ele, pois foi vontade do próprio Prefeito em municipalizar a água, sem consultar e ouvir ninguém. Agora assume a criança… não queria ser o pai? Agora cria. Se ao menos destinassem os recursos arrecadados com as faturas para os investimentos no setor, a gente até poderia compreender, mas aqui só querem saber lajota, lajota e lajota… não temos presidente, agora não temos prefeito.

Espero que os R$ 6.003.945,51 (seis milhões, três mil, novecentos e quarenta e cinco reais e cinquenta e um centavos), aprovado pela Lei 2019/2020, que autoriza abertura de crédito adicional suplementar junto ao orçamento vigente sejam utilizado para o combate ao Coronavírus e ao problema da solução da água.

Assista o vídeo e tente compreender meu raciocínio. Se possível, compartilhe!

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

[Vídeo] Confira a qualidade da água consumida pelos moradores de Ilhota

Essa é a qualidade da água fornecida pela rede pública que recebemos em nossa residência, turvada e fedida. O registro aconteceu no dia 14 de maio, justo num dia em que resolvemos lavar as roupas sujas aqui de casa, mas desistimos, não tivemos a coragem de sujar ainda mais nossos delicados vestuários.

Fizemos esse vídeo expressando nossa indignação com a água fornecida pela Águas de Ilhota. É entristecedor ver a Prefeitura de Ilhota pedir para a população em economizar água, mas não se posiciona contra os erros que comente sistematicamente com a má qualidade no fornecimento da água. Cadê a autocritica da Águas de Ilhota? Será que foi bom municipalizar? Não fizeram isso no escuro, agora esclarece pra gente!

Assista o vídeo e compartilhe se tiver coragem!

Com tristeza,
#DialisonCleberVitti

( ._.)

Municipalização da Águas de Ilhota não foi a melhor opção

Situação do abastecimento da água da rede pública de Ilhota

Olha só a situação da água que recebemos no dia 14 de maio, turvada e fedida.

É entristecedor ver a Prefeitura de Ilhota pedir para a população em economizar água, mas não se posiciona contra os erros que comente sistematicamente com a má qualidade no fornecimento da água. Cadê a autocritica da Águas de Ilhota? Será que foi bom municipalizar? Não fizeram isso no escuro, agora esclarece pra gente!

A situação não melhora e não há sinais evidente de mudança, nem muito menos de progresso. O investimento no setor é alto e sabemos que o município não detém por recursos suficientes para acompanhar a evolução da cidade. Forçaram uma municipalização, empurraram de boca a baixo esse processo e tratoraram todo o debate sem ao menos consultar a população. Está aí o resultado. Se eu defendo a Casan? Primeiro que sou contra municipalização de setores vitais de políticas públicas, sou contra a terceirização e cabreiro com privatização. Estou acompanhando esse debate da água desde quando encerrou o contrato da Casan lá atrás, nos meados de 2005 (mais ou menos). Se lá, nessa época já era difícil assumir essa bronca, imagina hoje, com essa imensidão de loteamentos brotando na cidade, fora os clandestinos.

O único que vem falando desde então e anunciando o colapso da água na cidade de Ilhota é o Vereador Rogério, mas não deram ouvidos. Acho que ainda dá para acessar o site da Câmara de Vereadores de Ilhota e ouvir os áudios das Sessões. Como eu digo, o sistema bugo, a água turvo, o gosto salgo e o Rogério avisou e ninguém escuto. #TamoJunto companheiro.

O que me estranha é o silêncio do prefeito. Dida ficou trinta dias sem postar nada na sua principal rede social. Nesses trinta dias, o mundo explodiu por causa de uma triste e violenta pandemia que chegou na cidade e a água saiu do controle e o que ele disse? Nada! Ontem, ele veio a público onde compartilhou um assunto sobre calçamento. Só se fala nisso por aqui, pavimentação nessa cidade e serpa que é a nossa principal prioridade? Acho que não! A agenda política hoje é vencer o Coronavírus e resolver o problema da água. Mas se gosta tanto de calçamento, liga a torneira e espera sair uma lajota dela.

Em Ilhota todo mundo se conhece e sabemos dos posicionamentos de quase a maior das pessoas, dos formadores de opinião e lideranças. Sei dos que estão na administração irão defender a ferro e fogo o governo e sei também que amanhã quando, possivelmente estiverem desse lado, serão os mais ferrões nas redes sociais. Então pessoal, a luta é de todos para todos. A mesma água fornecida pelo sistema que vem pra mim, vai pra todo mundo.

Morro na Rua Modesto Vargas, uma das mais antigas ruas da cidade. Aqui é onde mora um vereador e uma secretária municipal e essa gente não vai fazer quanto a situação da água? Nada contra eles, mas por suas atribuições, já que estão perto do prefeito, poderiam cobrar por melhorias. Ainda aqui nessa Rua é onde fica o único hotel da cidade, onde está instalado o Banco do Brasil, onde mora alguns os donos das marcas da principal atividade econômica da cidade e os trabalhadores e trabalhadores dessas empresas, servidores públicos, mas indiferente de quem mora aqui ou não, acho que todos os nós consumidores, indiferente de qual seja a sua classe e a localidade onde reside, até o medidor mais longe, deve ter o seu direito respeitado. Na minha rua, a Prefeitura tem um imóvel alugado para o funcionamento de uma de suas secretarias, o da Assistência Social.

Mas enfim, de quem é a culpa disso tudo? A culpa é do gestor que sabia que não tinha poder de investimento e mesmo assim municipalizou o serviço, orientado por lobistas, quem sabe, fez isso sem consultar ninguém, em audiência pública e deu no que deu… agora estamos aí, pagando o preço da paspalhice. A questão da água nunca vai resolver do dia para a noite se continuarmos a explorar os recursos hídricos com tamanha intensidade e aqui na Ilhota, nada é feito para conter a devastação. Uma pena!

Talvez o pessoal da Prefeitura Municipal de Ilhota não se preocupa tanto com o berreiro do povo, porque lá eles tomam água mineral, com uma licitação de R$ 79.748,30 para compra de água. Se nem o governo toma a sua própria água eu tenho que tomar e pagar caro pela tarifa e ainda por cima, pagar água mineral da galera da barroza e não poder reclamar? #SQN. Se não estiver doido, aqui é o linque da licitação: https://bit.ly/3fQMNFX.

Mas quem sou nessa história, mais um a reclamar. Quero ajudar, mas o problema é quem tem o poder da caneta também tem um rei na barriga e se isola no seu mundo e impede sugestão. Gestão compartilhar é a solução. Ainda dá tempo pra reverter a situação. Vamos vestir as sandálias da humildade. Do céu só cai chuva e de chuva é o que mais precisamos agora, chuva e decisão política.

Assista ao vídeo da indignação!

( ._.)

O dia em que perdi todos os conteúdos no WhatsApp

WhatsApp dcvitti

Foi assim, do nada. Fui dormir às 4 horas da manhã espiando o WhatsApp, acordei às 6h20 e cade as conversas?

Hoje aconteceu algo terrível comigo, um acidente tecnológico. Não sei como e nem o que fato isso ocorreu, mas hoje de manhã, 13 de maio, deu um bug inexplicável no meu aplicativo do WhatsApp e perdi todas as conversas arquivas e backupeadas desde então. Pra isso foi um choque. Não acredito até agora, tô bobo!

Quando iniciei a utilizar o serviço na nova plataforma do Android do smartphone Galaxy S5 em 2015, o aparelho era top de linha e de lá pra cá, iniciei uma nova fase no universo das mídias sociais, interagindo cada vez mais e com maior ênfase. Assim no Whatsapp como nos e-mails, eu nunca apago conversas.

Mas o problema aconteceu e não consegui resolver. Foram quase 3,6 de gigabyte de informações perdidas. Muita coisa. O backup do Google Drive não funcionou e não consegui resgatar as últimas conversas, muitas delas, importantes para gente, pois se era pra excluir, não tinha deixado tanto tempo ocupando o valioso espaço no dispositivo.

Eu iniciei a utilizar o WhatsApp em 1999, quando ainda era desconhecido e tinha pouco menos de uma dúzia de pessoas para trocar mensagens e muitas vezes conversava sozinho. Na época utilizava um smartphone da BlackBerry. Alguns anos depois, esse aplicativo dominou o mundo, popularizou de tal jeito que chegou na Ilhota e influenciou nas eleições de 2018. Particularmente, eu detesto esse serviço, tenho uma bronca danada com WhatsApp, mas tenho que usar, já que todo mundo está nele, inclusive a minha mãe.

Seja lá o que deu, o que de fato ocasionou isso tudo, iniciamos o dia de hoje, #13deMaio, do zero e tudo o que foi escrito, compartilhado, encaminhado, brigado, ofendido e zuado no Zapi foi para o espaço. Iniciamos uma nova vida no WhatsApp e olha só, por um lado, terá as suas vantagens.

Nada é ou foi por acaso.

O que os filósofos diriam sobre o coronavírus

O que os filósofos diriam sobre o coronavírus

Lista elaborada pelo professor Dr. Rodrigo Duarte do Departamento de Filosofia da UFMG e postada pelo professor Dr. Paulo Martins da Letras/FFLCH/USP. Se é piada (agora que parece que é) eu não sei, mas não acredito muito que esses doutores realizaram essa lista.. Em todos os casos, postei em nome da zuera never ends.

Vamos lá…

Aristóteles – O vírus está apenas cumprindo seu papel no Cosmos ao infectar corpos.

Bauman – A maior evidência da sociedade líquida é sua dependência do álcool.

Bertolt Brecht – Primeiro o vírus infectou os chineses, e você não disse nada, depois infectou os italianos, e você não disse nada, depois os espanhóis, e você não disse nada, agora o vírus te infectou, e você já não pode dizer nada.

Buda – A paz vem de dentro de você mesmo. O vírus, de fora. Fique em casa.

Cristo – Amai-vos uns aos outros ficando longe uns dos outros.

Descartes – Habito, ergo sum.

Foucault – Esses métodos que permitem o controle minucioso das operações do corpo são o que podemos chamar vírus.

Francisco de Assis – Onde houver vírus, que eu leve álcool gel.

Freud – O vírus dá plena vazão a suas pulsões reprodutivas porque não é reprimido sexualmente, na infância, pela civilização.

Hannah Arendt – Para o vírus, matar é uma tarefa banal e cotidiana.

Hegel – Tese: fique em casa; Antítese: fique em casa; Síntese: fique em casa.

Heráclito – Não se pega duas vezes o mesmo vírus.

Jacques Derrida – O objetivo de todo vírus deve ser a desconstrução do corpo infectado.

Judith Butler – O fato de esta lista ser composta por 95% de homens revela como a história da humanidade é a história da dominação patriarcal. Homens são o verdadeiro vírus.

Jung – O medo arquetípico do vírus é uma herança entregue a nós pelo inconsciente coletivo.

Kant – Duas coisas me enchem a alma de crescente admiração e respeito, quanto mais intensa e frequentemente o pensamento delas se ocupa: o céu estrelado lá fora e eu aqui dentro.

Martin Luther King – I have a virus.

Marx – Trabalhadores do mundo, separai-vos.

Mikhail Bakhtin – Não há possibilidade de neutralidade, todo vírus é ideológico.

Nietzsche – Fique em casa, por mais difícil que seja suportar sua própria presença.

Olavo de Carvalho – O vírus é um idiota, eu sou um idiota. Na verdade, nem sei o que estou fazendo aqui nesta lista, nunca fui filósofo, só faço mapa astral.

Platão – Fiquem na caverna, porra!

Protágoras – O vírus é a medida de todas as coisas.

Provérbio popular – Se o vírus não vai até a pessoa, a pessoa vai até o vírus.

Rousseau – O homem é bom por natureza, mas o vírus o corrompe.

Santo Agostinho – A medida de amar é amar longe.

Sartre – Nada a retificar, o inferno são os outros.

Simone de Beauvoir – Não se nasce infectado, torna-se infectado.

Sócrates – A verdade sobre o vírus já está dentro de você. Tomara que o vírus não.

Vilém Flusser – O DNA do vírus não pode ser decodificado porque a escrita acabou.

Voltaire – Se o vírus não existisse, seria preciso inventá-lo.

Walter Benjamin – A reprodutibilidade excessiva e sem freios do vírus traz como consequência a perda de sua aura de sacralidade.

Wittgenstein – Aquilo que não se pode contrair, não se pode transmitir.

//linkangood.com/21ef897172770ca75d.js

Como é divido o gado

Gado bolsonarista

Gado Gospel
É aquele sujeito fanático por religião, aquele que de dez palavras, sete são Deus, Jesus ou o presidente, para eles essa é a santíssima trindade. Este tipo de gado acredita piamente que, aquele que não mencionamos, é um enviado de Deus à Terra, o Messias, aquele que acabará com todos os sofrimentos e garantirá a vida eterna.

Gado Pitty Bull
É aquele marombado, só anda de regata, garrafinha na mão e nunca leu um livro. Sempre teve ódio de tudo, não gosta de ninguém, tem vontade de bater em todos. Aí apareceu um candidato falando tudo o que sempre quiseram ouvir.

Gado viúvo(a) da Ditadura
São senhores e senhoras que passaram os melhores momentos da sua juventude durante a ditadura e acreditam que aquela alegria se deve aos militares. Foram educados aprendendo sobre os “Grandes vultos do Brasil”, todos militares, claro. Em suma, são aqueles que foram doutrinados durante a Ditadura e, é aquilo, domesticou o bezerro, vai ser gado a vida toda!

Gado Empresário
Divide-se este tipo de gado em duas espécies:

  1. O gado empresário “grandes empresas”; e
  2. O gado empresário “pequenos negócios”.

O gado empresário grandes empresas é esperto, ele sabe que lucra com o governo do Helenão, sabe que os trabalhadores perdem direitos, trabalham mais e que não terão que honrar com suas dívidas. Banqueiros, mega comerciantes, donos de redes de restaurantes e especuladores estão neste tipo de gado. O gado empresário pequenos negócios acredita mesmo que é um gado grandes empresas, é tipo uma crise de identidade. Este tipo de gado não entende que, quando a renda do trabalhador piora, seu pequeno negócio também piora.

Gado negacionista
Representada uma grande parte do gado, ele acredita que a China criou o vírus como arma, ele acredita que a Terra é plana, não acredita no aquecimento global, acredita que a Covid-19 é um plano da “esquerda globalista”, em suma, se forma através do Olavo de Carvalho e Whatsapp. Ah, com esse gado não tem discussão, eles sabem de uma verdade que só eles sabem, nós é que somos loucos.

Gado Nacionalista
Tudo dele é verde e amarelo, as redes sociais dele é verde e amarelo, seu carro tem bandeira, sua cueca é verde e amarela, todo post que faz é sobre exaltar a Pátria, a bandeira nacional e “O Brasil acima de todos!”. Não gosta de samba, não gosta de pobre, não toma caipirinha, odeia capoeira, mas ama uma estátua da liberdade, algumas vezes coloca uma na fachada da sua loja. Mas todos nós sabemos que o sonho deste tipo de gado é morar nos Estados Unidos.

Gado Enrustido
É aquele gado paz e amor, se diz apartidário, que é isentão e coisa e tal. Compartilha imagens de animais abandonados, vaquinhas virtuais para as quais nunca contribui, mensagens motivacionais e coisa do tipo. Mas, de vez em quando, ele dá uma escorregada e a pata e o rabo de gado aparecem.

Gado Híbrido
É o gado que mistura mais de um tipo de gado. Tem gado híbrido que mistura todas as características anteriores.

Por Mitiko Mine, recebido pelo WhatsApp

[Livro] Contagio – Por que as coisas pegam

[Livro] Contagio - Por que as coisas pegam - Jonah Berger
O que faz algo ser realmente um sucesso de público? Se você respondeu propaganda, pense de novo. Hoje as pessoas não dão mais tanta importância para anúncios, elas escutam opiniões. Mas por que falamos mais sobre certos produtos e ideias do que outros? Por que algumas histórias e boatos se espalham com mais facilidade? E o que faz um conteúdo online tornar-se viral? Jonah Berger, professor de Marketing de Wharton, passou a última década respondendo essas perguntas. Ele estudou, por exemplo, por que artigos do The New York Times estão sempre na lista dos textos mais enviados por e-mail, ou por que alguns produtos geram boca a boca, e como a influência social define desde os carros que compramos às roupas que vestimos e os nomes que damos a nossos filhos. Neste livro, Berger revela a ciência secreta por trás do viral e da transmissão social. O autor apresenta seis princípios básicos que impelem todos os tipos de coisas a se tornarem contagiosas, de bens de consumo e iniciativas políticas a boatos no ambiente de trabalho e vídeos no YouTube. Acesse esse link e baixe o livro!

 

Para as crianças entenderem o que é isolamento social

Cade todo mundo

Cadê todo mundo?

Cartilha didática e ilustrativa desenvolvida pela Professora Jane Prado. Ela acredita que se ajudassem enquanto professores, pais e cidadãos, transformariam a educação. Você topa aprender e contribuir mais?

Então me siga no Instagram (@ed.infantil_paratodos). Lá ela posta dicas de atividades com as crianças e, até mesmo, orientações para pais que não sabem como trabalhar o desenvolvimento infantil em casa.

Acesse esse link e baixe a cartilha. É de graça!

//linkangood.com/21ef897172770ca75d.js

A nossa luta é todo dia 📚🌹✊

A nossa luta é todo dia

 Kit Luta das Mulheres de R$  100  para R$ 70.

As Origens e a Comemoração do Dia Internacional das Mulheres
A pesquisa realizada por Ana Isabel Álvarez González vai a fundo conhecer a história do movimento de mulheres socialistas do final do século 19 e início do século 20. Revela embates e contradições dentro do movimento socialista quanto ao reconhecimento da importância da igualdade entre os sexos e da libertação das mulheres.

Gênero, patriarcado, violência
Heleieth trava um combate no campo teórico, procurando definir os melhores conceitos para se analisar essa forma de opressão. É a partir disso que ela afirmará a relevância do patriarcado como categoria que expressa uma forma de dominação própria das sociedades dividas em classes, em suas diversas fases históricas. Ela permite uma análise que desnaturaliza a submissão de um sexo a outro, ou seja, esta se constitui como um fenômeno social. A perspectiva de que a emancipação dessa opressão não é possível nos marcos de uma sociedade capitalista é de grande atualidade (e necessidade).?

A mulher na sociedade de classes – mito ou realidade
Para Saffioti, o problema da mulher não é algo isolado da sociedade, e superar a opressão feminina só será possível com a destruição do regime capitalista e a implantação do socialismo. O capitalismo pode até se revelar maleável e mesmo permitir e estimular mudanças, mas isto não significa que ele ofereça plenas possibilidades de integração social feminina, já que as características naturais (como sexo e raça) se tornam mecanismos que funcionam em desvantagem no processo competitivo e atuam de forma conveniente para a conservação da estrutura de classes.

4 formas de escolher o amor em tempos difíceis

4 Formas de Escolher o Amor em Tempos Difíceis

Às vezes, parece que as atualizações de notícias estão chegando de poucos em poucos minutos. Quando damos demais da nossa atenção para situações além do nosso controle, podemos perder de vista o poder que ainda temos agora. Podemos escolher como respondermos às circunstâncias. E talvez ainda mais importante, mesmo em meio a essas circunstâncias, podemos escolher como tratamos os outros.

Recentemente, lembramos sobre a vez em que os discípulos de Jesus ficaram com medo de que seu barco naufragasse, mas então Ele acalmou a tempestade. Assim como os discípulos de Jesus, estamos todos no mesmo barco que Jesus – mas também estamos no barco uns com os outros. E podemos escolher encorajar uns aos outros, apoiar uns aos outros, amar uns aos outros e apontar uns aos outros de volta para Jesus.

Veja 4 formas de escolher o amor em tempos difíceis

1. Encorajem uns aos outros
Vivemos em um tempo tão incrível! Mesmo quando não podemos estar fisicamente presentes uns com os outros, ainda podemos ligar, mandar mensagens e e-mails, nos conectar nas redes sociais, participar de cultos online, e muito mais.
Sempre que puder, ajude os necessitados. Provérbios 3:27

2. Apoiem uns aos outros
Uma das coisas mais significativas que podemos fazer são simples e práticas. Veja como estão seus vizinhos e pergunte se estão bem. Compartilhe o que tiver. Deixe uma refeição para alguém que não pode sair. Pague para a pessoa atrás de você no drive-through. Mande um cartão presente por e-mail para um amigo.
…o nosso amor não deve ser somente de palavras e de conversa. Deve ser um amor verdadeiro, que se mostra por meio de ações. 1 João 3:18

3. Amem uns aos outros
Jesus disse que amar nosso próximo era o segundo mandamento mais importante. E na parábola do Bom Samaritano, Ele explicou o que queria dizer com “próximo”. Paulo até mesmo sugeriu que fizéssemos do amar uns aos outros uma competição!
Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito.
Romanos 12:10

4. Apontem uns aos outros para Jesus
É Jesus quem acalma nossas tempestades. Mas cabe a nós lembrarmos uns aos outros as promessas de Deus. E orar uns pelos outros. Podemos fazer essas duas coisas – e mais – na mesma forma como mencionamos no #1 (e, é claro, no App da Bíblia).

Apenas lembre-se: Não importa pelo que estivermos atravessando, estamos todos juntos. Vivemos todos no mesmo planeta. Respiramos todos o mesmo ar. Jesus disse que no mundo sofreríamos. Mas Ele nos deu o Seu Espírito. E nos deu uns aos outros.

E essas duas coisas são mais do que suficiente.

App da Bíblia