Juventude entoa 20 soluções Jovens para o futuro

Jovens participam do encerramento do evento (Foto: Fora do Eixo)

Depois de quase 10 dias de trabalho, o 6o Congresso Mundial da Juventude chegou ao fim. A cerimônia de encerramento foi realizada na última terça-feira, dia 12, no Rio de Janeiro, RJ. Os cerca de 300 jovens de 110 países apresentaram as 20 Soluções Jovens para o Futuro Sustentável, documento produzido no e pelo o evento, aos tomadores de decisão do mundo.

Ato simbólico

Os participantes selecionaram 30 jovens para representá-los em um ato simbólico no Riocentro, local da Rio+20. O grupo de representantes – vestidos com os trajes típicos de seus países – entoaram as 20 soluções encontradas por eles para o futuro sustentável.
“Youth act now!”

A cerimônia de encerramento reuniu a diversidade característica ao evento. Vinte jovens – um de cada país – entoaram os pontos do documento produzido pelo 6o Congresso Mundial de Juventude. Depois, foi o momento dos jovens ouvirem os representantes dos governos brasileiro e de Praga, em Portugal.

Secretária Nacional de Juventude fala sobre participação juvenil (Foto: Fora do Eixo)

A Secretária Nacional de Juventude, Severine Macedo, revelou que é consenso no governo federal brasileiro que a juventude deve assumir um caratér verdadeiramente estratégico na política federal, pois os jovens são os que mais sofrem os impactos da crise neoliberal.

“A discussão sobre sustentabilidade não está descolada do social e do econômico. Essa geração tem um enorme peso econômico, político, cultural e social”, afirmou a secretária nacional de juventude.

Quem também chamou atenção para o momento propício para mudanças foi a secretária de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura, Márcia Rollemberg. Na cerimônia, ela citou alguns projetos como o Brasil Plural, Brasil Cidadão e Brasil Vivo que trabalham questões como diversidade, integração social e cidadania ativa.

“É hora de renovar nossos olhares sobre o mundo. Precisamos mudar nossas atitudes e o outros também precisam mudar suas atitudes com seus vizinhos. Saio desse evento com a sensação de que estamos construíndo um futuro com mais respeito a nossa casa”, revelou Márcia.

Também participaram da cerimônia de encerramento: o superintendente de Juventude do Estado do Rio de Janeiro, Allan Borges; o coordenador da Coordenadoria de Juventude da Cidade do Rio de Janeiro, Igor Bruno; o presidente da Juventude Európeia, Hugo Telles; e o fundador da Universidade da Juventude, Alessandro De Leon.

Conheça as 20 Soluções Jovens para o Futuro Sustentável

Congresso Mundial de Juventude

O 6º Congresso Mundial de Juventude reuniu quase 300 jovens de 11 países no Rio de Janeiro (RJ) nos dias de 04 a 13 de junho de 2012.

Nos nove dias do evento, os jovens participaram de 180 oficinas, 10 mesas de diálogo, do projeto Soluções Jovens – que realizou uma série de atividades durante três dias na Vila Cruzeiro, uma das comunidades cariocas que mais sofrem com a violência e vulnerabilidade social, atividades culturais, diálogos globais e mais um monte de atividades que possibilitaram a formulação do documento “20 Soluções Jovens para o Desenvolvimento Sustentável”.

É importe frisar que este documento nasceu um dia antes do início da Rio+20, conferência da ONU sobre o desenvolvimento sustentável.

Confira abaixo a tradução livre do documento formulado pelos jovens do 6o Congresso Mundial de Juventude:

20 Soluções Jovens para o Futuro Sustentável

O tempo de fazer declarações, petições e lobbying já acabou.
Este é um plano de ação.
Nós, a juventude mundial, vamos ocupar o futuro que queremos com essas 20 soluções.
Nossa mensagem para os governos: vocês falharam conosco! Vocês podem trabalhar conosco ou ser arrastados por nós.
No mundo em que vivemos atualmente, falta igualdade, justiça e sustentabilidade.
Convidamos a juventude mundial a confrontar isso.
Aja agora e recupere o futuro pelas gerações futuras.
Aja agora e tome essas decisões para si.

  1. Colocar a sustentabilidade no centro da educação.
  2. Deixar que juventude guie os governos, corporações e a sociedade em direção à sustentabilidade.
  3. Facilitar para que a juventude inicie seus próprios negócios fornecendo capital, diminuindo os impostos e reduzindo a burocracia administrativa.
  4. Redesenhar nossa economia para que ela se torne sustentável e para fazer as pessoas felizes afastando-se das práticas de consumo desenfreado.
  5. Mudar para o uso de fontes renováveis, utilizando de forma efetiva os recursos não-renováveis para isso.
  6. Fazer o melhor uso da energia – eficientemente.
  7. Reduzir os danos, gerenciando as perdas.
  8. Preservar tudo aquilo em que a vida se baseia – a água.
  9. Forçar as regulações contra a poluição, exploração e degradação dos nossos oceanos.
  10. Reconhecer as realidades e impactos da mudança de clima, assumir responsabilidades, pedir que as consequências sejam assumidas, e agir para reduzir as emissões.
  11. Reconhecer as ligações entre o desenvolvimento e a vulnerabilidade aos desastres naturais, para integrar a redução de riscos de desastres em lugares propícios e o desenvolvimento sustentável.
  12. Demandar a conservação da biodiversidade, o fim da extinção em massa de espécies e degradção dos habitáts.
  13. Reconhecer o ecocídio como um crime contra a humanidade e a natureza.
  14. Respeitar o direito ao cuidado da saúde.
  15. Produzir comida para as pessoas e as plantas, não apenas pelo dinheiro.
  16. Restringir o poder das corporações transnacionais sobre o sistema alimentício.
  17. Reconhecer o fortalecimento dos gêneros e a liberdade sexual e de escolha dos gêneros em uma sociedade livre de discriminação.
  18. Promover a representação democrática da juventude nos processos de tomada de decisão das sociedades.
  19. Tornar o mundo uma zona sem conslitos, guiada por pacificadores da juventude.
  20. Fazer conhecer que o respeito aos direitos humanos é parte integral do desenvolvimento sustentável.

Jovens do mundo celebram poder da participação

Jovens do mundo celebram poder da participação

110 países. Esse é o número de nações representadas no 6º Congresso Mundial de Juventude, que começou ontem e vai até o dia 13, no Rio de Janeiro. Nesta terça-feira, dia 5, a abertura oficial do evento ressaltou como a participação juvenil global pode solucionar diversos desafios do desenvolvimento sustentável.

“O que torna alguém líder não é a capacidade de falar no palco, mas o talento e a disposição para envolver pessoas. Vocês terão essa responsabilidade quando retornarem aos seus países”, afirmou Marcelo Furtado, diretor do GreenPeace Brasil, que falou diante de um auditório repleto de jovens lideranças do mundo.

A presidente do Conselho Nacional de Juventude, Angela Guimarães, afirmou que é impossível construir um mundo mais sustentável sem tolerância e respeito as diversidades.

“O caminho do desenvolvimento sustentável passa pela criação de novos valores. Esse congresso alia a teoria e prática. Tanto os diálogos como a organização do evento foram construídos com respeito a diversidade “, disse Ângela Guimarães.

Também participaram da abertura o diretor da Peace Child, David Woolcombe; o representante da Coordenadoria de Juventude da Cidade do Rio de Janeiro, Rodrigo Lua; Alec Loorz, da Ted Talks; Andrea Veach, da Techo; Helio Mattar do Instituto Akatur; e YannckduP Ont, Spark.

De jovens, para jovens e com jovens!

Participantes do congresso (Foto: Fora do Eixo)A abertura também evidenciou o nível de participação dos jovens no evento. Os mestres de cerimônia da atividade foram Sol Dandara e Blue Ribbon, dois colaboradores com menos de 30 anos. os delegados Tânia Kurbatoff, Biengente Manalo e Omina Sanginova também foram convidados a compartilhar suas expectativas na abertura oficial do evento.

O 6o Congresso Mundial de Juventude envolve jovens desde a concepção, organização – staff e delegados – e participantes. Se você é jovem ou trabalha com as temáticas juvenis, não deixe de participar do Fórum de Diálogo do evento no site do Congresso Mundial Virtual de Juventude.

Congresso Mundial da Juventude busca voluntários líderes

Congresso Mundial de Juventude

Essa é a última chance para ser voluntário em um evento global no mês de junho. O 6º Congresso Mundial de Juventude Rio 2012 seleciona voluntários nas áreas de produção cultural, jornalismo e liderança. Se você tem um currículo interessante, domina o idioma inglês e mora no Rio de Janeiro, envie seu currículo para endereço: parcerias@unijuv.org.br até a próxima quarta, dia 16.

O evento, que será realizado de 4 a 13 de junho na cidade do Rio de Janeiro, recruta jovens com dominío da língua inglesa e diversas características que dependem da área escolhida. Além das habilidades especificas, características genéricas como boa comunicação verbal e escrita e capacidade de aprender, sistematizar, lidar com conflitos e com metas são desejaveis em todos os perfis. Experiência em grandes eventos não é obrigatória, mas trata-se de um diferencial.

A Peace and Child, a Universidade da Juventude e a Raízes da Tradição esperam que os voluntários possam contribuir na preparação, realização e avaliação do Congresso Virtual Mundial de Juventude. Confira as responsabilidades específicas de cada perfil de voluntário:

Jornalista

  • Revisar e sistematizar as notícias do Congresso e do Portal Infojovem;
  • Elaborar notícias de forma adequada para o público jovem brasileiro e mundial;
  • Elaborar release sobre o Congresso;
  • Administrar as redes sociais do Congresso;
  • Monitorar as contribuições dos usuários do Congresso.

Produtor cultural

  • Acompanhar o desenvolvimento de parcerias com artistas, grupos e líderes comunitários;
  • Sistematizar dados referentes a grade de workshop e grade de programação cultural;
  • Dar suporte à realização do congresso, em particular a shows culturais, grade de workshop e visitas a comunidade;
  • Dar suporte aos participantes do congresso;
  • Assessorar a organização em demandas de produção cultural;

Voluntário líder

  • Atuar como liderança, se relacionar, apoiar e assegurar a comunicação com os participantes do Congresso Mundial de juventude;
  • Colaborar com a coordenação dos participantes;
  • Dar suporte as questões referentes a logística, infra-estrutura, produção, recursos humanos e realização do congresso.

Congresso Mundial de Juventude

O World Youth Congress (nome internacional do evento) nasceu – em 1997 – diante das necessidades apontadas pela Cúpula da Terra, a RIO+5. Nessa ocasião, foi verificada que a Ajuda ao Desenvolvimento caiu cerca de 17% desde 1992, retrocesso que frustrou as previsões de aumento propostas pela Cúpula da Terra.

Assim, o 1º Congresso Mundial da Juventude foi concebido como sendo uma espécie de Cúpula da Terra dos Jovens. Realizado no Havaí, em 1999, o evento converteu-se num processo muito mais abrangente de identificação de prioridades para o novo milênio e, por conta disso, acabou denominado de Congresso dos Jovens do Milênio. Milhares de jovens de todo o mundo identificaram 10 prioridades-chave para o novo milênio.

Com informações do 6º Congresso Mundial de Juventude

Inscrições do Congresso Mundial de Juventude vão até o dia 31 de março

Inscrições do Congresso Mundial de Juventude vão até o dia 31 de marçoOs brasileiros já podem se inscrever no 6º Congresso Mundial de Juventude, que acontecerá no Rio de Janeiro de 4 a 12 de junho de 2012! Quem quiser participar deve preencher e enviar o formulário disponível no site http://wycrio2012.org/?p=395&lang=pt até o dia 31 de março.

No ano de realização da conferência mundial da ONU sobre desenvolvimento sustentável, a Rio+20, o Congresso Mundial de Juventude se debruça sobre o tema. E os jovens terão a responsabilidade de rever as Metas do Milênio e traçar novas perspectivas pós 2015.

O Congresso é um encontro de jovens ativistas de todas as áreas, organizações, profissões e disciplinas do mundo. A programação do evento é autogestionada, isto quer dizer que os participantes são responsáveis por desenvolver e criar os debates e atividades de seus interesses.

Ahhh?  Congresso?!

O Congresso Mundial de Juventude – cuja sigla internacional é WYC, abreviação em inglês – é um encontro bienal de jovens ativistas de todo o mundo que pretendem promover a expansão do papel da juventude no desenvolvimento sustentável.

Quem pode participar?

Os jovens – até 30 anos – que fazem a diferença em suas comunidades e/ou redes.

Quanto custa?

Atenção! A Peace Child Internacional não cobra nenhum tipo de taxa de inscrição ou participação. A organização também concede alimentação e alojamento aos jovens selecionados.

Dá pra participar virtualmente?

Os delegados que não puderem comparecer fisicamente ao Rio de Janeiro poderão participar das plenárias, mesas redondas e as principais atividades do congresso através da Plataforma Virtual. Essa estrutura online se dará mediante a uma parceria com a Taking It Global.

Saiba Mais no site do evento.

Com informações Peace Child International