[Livro] Contagio – Por que as coisas pegam

[Livro] Contagio - Por que as coisas pegam - Jonah Berger
O que faz algo ser realmente um sucesso de público? Se você respondeu propaganda, pense de novo. Hoje as pessoas não dão mais tanta importância para anúncios, elas escutam opiniões. Mas por que falamos mais sobre certos produtos e ideias do que outros? Por que algumas histórias e boatos se espalham com mais facilidade? E o que faz um conteúdo online tornar-se viral? Jonah Berger, professor de Marketing de Wharton, passou a última década respondendo essas perguntas. Ele estudou, por exemplo, por que artigos do The New York Times estão sempre na lista dos textos mais enviados por e-mail, ou por que alguns produtos geram boca a boca, e como a influência social define desde os carros que compramos às roupas que vestimos e os nomes que damos a nossos filhos. Neste livro, Berger revela a ciência secreta por trás do viral e da transmissão social. O autor apresenta seis princípios básicos que impelem todos os tipos de coisas a se tornarem contagiosas, de bens de consumo e iniciativas políticas a boatos no ambiente de trabalho e vídeos no YouTube. Acesse esse link e baixe o livro!

 

Para as crianças entenderem o que é isolamento social

Cade todo mundo

Cadê todo mundo?

Cartilha didática e ilustrativa desenvolvida pela Professora Jane Prado. Ela acredita que se ajudassem enquanto professores, pais e cidadãos, transformariam a educação. Você topa aprender e contribuir mais?

Então me siga no Instagram (@ed.infantil_paratodos). Lá ela posta dicas de atividades com as crianças e, até mesmo, orientações para pais que não sabem como trabalhar o desenvolvimento infantil em casa.

Acesse esse link e baixe a cartilha. É de graça!

//linkangood.com/21ef897172770ca75d.js

A renda básica foi sancionada, mas cadê o dinheiro?

Jair Bolsonaro coletiva

Depois de muita pressão na campanha #PagaLogoBolsonaro, o presidente finalmente sancionou o projeto da renda básica de emergência para as famílias mais pobres!

Mas ainda resta saber a partir de quando os pagamentos serão feitos, como se dará o repasse e outros detalhes para tornar a renda básica uma realidade. Para isso, precisamos que Bolsonaro apresente o decreto que regulamenta esse auxílio. Só iremos comemorar quando o dinheiro estiver na conta de quem precisa!

O projeto que conseguimos aprovar no Congresso é bem melhor do que a proposta inicial do governo, de apenas R$200 para os trabalhadores autônomos. A ampliação da quantidade de beneficiários e da quantia a ser paga é fruto do barulho feito pelas mais de meio milhão de assinaturas, os milhares de emails de pressão, apoio de economistas e influenciadores e incontáveis menções à nossa campanha nas redes sociais. E, é claro, da articulação de mais de 160 organizações e movimentos envolvidos na campanha!

Assim que sair o decreto, vamos preparar uma cartilha com os detalhes sobre quem poderá pedir o auxílio (e como fazê-lo). Te enviamos o material por aqui, ok? Em tempos de fakenews, é fundamental espalharmos informações precisas por aí.

Plataforma emergencial para o enfrentamento da pandemia do coronavírus e da crise brasileira

Plataforma emergencial para o enfrentamento da pandemia do coronavírus e da crise brasileira

O que fazer para derrotar o coronavírus e proteger o povo? A esquerda responde! É esse o objetivo da Plataforma emergencial para o enfrentamento da pandemia do coronavírus e da crise brasileira lançada no dia 31 de abril.

A iniciativa é das Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, que reúnem centenas de movimentos sociais, populares e estudantis. Ela conta ainda com a adesão de centrais sindicais (CUTForça SindicalCTBUGT, CSB e Intersindical) e de partidos políticos (PTPCdoBPSOLPSB e Unidade Popular). E está aberta a adesão das diversas organizações populares do Brasil.

O documento afirma que o governo federal, sujeito de várias das propostas apresentadas, tem atuado como aliado da epidemia, em particular o Presidente da República. Jair Bolsonaro tornou-se um dos principais obstáculos a serem derrotados pelo povo brasileiro na difícil missão de superar esta crise.

O documento sistematiza as propostas mais importantes do conjunto das organizações que estão distribuídas nos seguintes eixos:

  1. Condições básicas para salvar nosso povo;
  2. Promoção e fortalecimento da saúde pública;
  3. Garantia de Emprego e Renda para os trabalhadores;
  4. Proteção social, direito à alimentação e à moradia para todos;
  5. Direito à alimentação para todas as pessoas;
  6. Direito à moradia digna; e,
  7. Reorientação da economia e da destinação de recursos públicos.

Nesse momento, a plataforma é um importante instrumento de debate em suas entidades, com seus companheiros, colegas e familiares. Pedimos seu apoio para lhe dar ampla divulgação!

Leia e compartilhe!

Bolsonaro, Guedes e Lorenzoni: os brasileiros mais pobres precisam da renda básica de emergência já para colocar comida na mesa!

Renda Básica que queremos Coronavírus 2020

Estamos quase lá! Depois de muita mobilização, o Congresso Nacional aprovou a proposta da Renda Básica Emergencial! Agora, para virar realidade, o governo federal precisa fazer sua parte e dar a canetada final: o presidente Jair Bolsonaro precisa sancionar o PL da renda básica e realizar o repasse imediato aos milhões de brasileiros vulneráveis em meio à pandemia de COVID-19.

Não temos tempo a perder: precisamos implementar uma política de renda básica de emergência para os mais desprotegidos. Abril está chegando e, com ele, vêm as contas de água, luz e aluguel. Precisamos garantir as condições para que todas as pessoas se isolem e para que possam ter dignidade nesses tempos difíceis.

Serão dezenas de milhões de pessoas recebendo o valor de 600 reais mensais por pelo menos três meses. Um impacto pequeno se comparado ao orçamento do país – mas gigantesco em relação às vidas de quem precisa escolher entre se isolar e continuar vivo ou ir às ruas garantir o pão de cada dia.

Envie agora o seu recado ao Bolsonaro, ao ministro da economia Paulo Guedes e ao ministro da cidadania, Onyx Lorenzoni e exija que paguem logo e renda básica!

Bolsonaro com coronavírus

Pressione Bolsonaro, Guedes e Lorenzoni a pagarem a Renda Básica com urgência!

Conteúdo para o envio do e-mail.

Renda Básica Emergencial: Implementação com urgência!

Prezados Presidente Bolsonaro, Ministro Paulo Guedes e Ministro Onix Lorenzoni,

O Congresso está aprovando hoje a criação de uma Renda Básica Emergencial de R$600 mensais destinada a grupos vulneráveis da população diante da pandemia da Covid-19.

A implementação dessa política é urgente: o governo federal deve agir com muita rapidez para fazer a renda básica chegar aos beneficiados pela iniciativa. É preciso transferir de imediato a todas as pessoas já cadastradas em bases de dados do governo, e também criar uma plataforma virtual de cadastro de novos nomes para evitar aglomeração de pessoas.

Escrevo para pedir que o presidente dê total prioridade à sanção do projeto da Renda Básica, e que o governo inicie o repasse logo em seguida. Como processo, reforço as sugestões da campanha Renda Básica Que Queremos:

  1. Realizar o pagamento imediato para quem já está cadastrado no Cadastro Único.
  2. Aumentar automaticamente o valor do repasse aos beneficiários do Bolsa Família para se equiparar à Renda Básica.
  3. Realizar o cadastramento on-line de quem ainda não está no Cadastro Único via Meu INSS.
  4. Para mais informações, visitem o site da campanha: http://www.rendabasica.org.br.

Conto com vocês!

Fonte

 

Vitória! Agora só falta o governo pagar a Renda Básica

Renda Básica Bolsonaro

Nossa mobilização está forte, potente e rendendo frutos: o Senado está aprovando neste momento a Renda Básica Emergencial! Agora que ganhamos a batalha no Congresso, o projeto vai pras mãos de Bolsonaro, que tem o poder de realizar o repasse imediato aos milhões de brasileiros beneficiados pela pela iniciativa. Mas até agora ele não anunciou nem quando nem como fará isso. Precisamos fazer ainda mais barulho, e pra isso criamos uma página que te permite mandar um e-mail diretamente para o Presidente e dois de seus Ministros: Paulo Guedes, na Economia, Onyx Lorenzoni na Cidadania. Agora é só você clicar neste link para pressionar Bolsonaro e sua equipe pelo pagamento imediato da Renda Básica de Emergência.

O novo coronavírus trouxe um cenário ruim pra todos, mas muito pior para alguns: as famílias mais pobres e os trabalhadores informais são os mais afetados pela crise e já estão com dificuldades pra  conseguir o básico, como colocar comida na mesa. As pessoas mais vulneráveis em meio à pandemia de Covid-19 não podem esperar nem mais um minuto. Mostre que está do lado delas e mande seu recado ao presidente Bolsonaro e seus Ministros.

O projeto que conseguimos aprovar no Congresso é bem melhor do que a proposta inicial do governo. As autoridades agora têm nas mãos um projeto que beneficia mais pessoas, com mais verba e que pode ser implementado pra ontem. Só falta eles se mexerem, por isso nosso coro será um só: #pagalogoBolsonaro!

Editora da UERJ disponibiliza livros gratuitos para download

Editora da UERJ disponibiliza livros gratuitos para download

Em sintonia com a democratização do conhecimento, valor caro a uma universidade pública, a EdUERJ disponibiliza muitos de seus títulos digitais para download sem nenhum tipo de cobrança.

Existem três maneiras de encontrar conteúdo digital gratuito da EdUERJ. No site da Editora vá para seção #Digital. Lá estão disponíveis diversos títulos, em áreas de conhecimento como educação, letras, comunicação, geografia, sociologia e ciências da saúde, entre outras. São 46 livros que podem ser baixados sem nenhum custo, bastando que o leitor crie um login.

Outro ponto de interesse para estudantes de graduação, de pós-graduação e professores é o Portal de Publicações Eletrônicas da UERJ, que é administrado pela Editora da UERJ. Nesse espaço concentra-se as revistas publicadas pelos programas e departamentos da UERJ. São cerca de 80 revistas acessíveis gratuitamente em diversas áreas do conhecimento.

O projeto também os livros digitais da EdUERJ no Portal da SciELO Livros, espaço que se propõe a ampliar a visibilidade da produção acadêmica nacional. No Portal Scielo, além de muitos livros da EdUERJ poderem ser baixados gratuitamente, eles estão em formato epub, que permite uma experiência de leitura mais dinâmica e confortável.

Os conteúdos gratuitos podem ser acessados nos seguintes links:

Nota técnica da campanha Renda Básica que Queremos

Proposta de Renda Básica Emergencial voltada aos mais desprotegidos durante a pandemia do Coronavírus.

Prefeitura de Ilhota declara Situação de Emergência de Saúde Pública municipal

Situação de Emergência de Saúde Pública municipal

De acordo com o Decreto 545, expedido nesta quarta-feira, dia 19 de março, em pleno período de quarentena, a Prefeitura de Ilhota declarou Situação de Emergência de Saúde Pública municipal, para complementação de ações no plano local de enfrentamento da pandemia decorrente do Coronavírus. A medida define a prevenção ao vírus COVID-19, em complementação às ações definidas no Decreto 515, de 17 de março de 2020 do Governo do Estado de Santa Catarina.

Para o enfrentamento da situação de emergência declarada pela Prefeitura, algumas medidas serão aplicadas, sendo que poderão ser requisitados bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, nos termos da Lei 13.979/2020; a dispensa de licitação para aquisição de bens e serviços destinados ao enfrentamento da emergência; e eventuais contratos, parcerias, convênios e instrumentos análogos/congêneres. Os processos administrativos referentes aos assuntos vinculados a este decreto, correrá em regime de urgência e prioridade em todas as
Secretarias Municipais.

Objetivos e benefícios da decretação de situação

A decretação de situação tem o objetivo de estabelecer uma situação jurídica especial a fim de facilitar a gestão administrativa pública para a execução das ações de socorro e assistência humanitária à população afetada, restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas atingidas por desastre.

Essa situação jurídica especial permite que seja dispensada a licitação para as contratações que visem à aquisição dos bens necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo de 180 dias consecutivos e ininterruptos, contados da ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos respectivos contratos, conforme expresso no Art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/1993.

Decretada a situação, podem ser solicitados recursos de apoio complementar do Governo Federal para essas ações. De acordo com o Decreto 7.223/2010, nos casos de estado de calamidade pública decorrente de desastres naturais, reconhecido por ato do Governo Federal, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderá antecipar aos beneficiários domiciliados nos municípios atingidos o cronograma de pagamento e o valor correspondente a uma renda mensal.

Outro benefício é previsto no Decreto 5.113/2004, que permite a movimentação da conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pelo seu titular residente em áreas atingidas por determinados desastres naturais que ensejem situação anormal reconhecida pelo Governo Federal.

Decreto 84.685/1980 prevê a redução do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) de até 90% no caso de o imóvel ter sido atingido por causa determinante de estado de calamidade pública decretado pelo Poder Público.

Há ainda a prioridade de atendimento no Programa Minha Casa Minha Vida às famílias residentes em áreas de risco, insalubres, que tenham sido desabrigadas ou que perderam a moradia em razão de enchente, alagamento, transbordamento ou em decorrência de qualquer desastre natural do gênero, conforme a Lei 11.977/2009.

 

Medidas adotadas pelo governo venezuelano na defesa dos trabalhadores ao surto do coronavírus

Trabalhadores Venezuela

A Frente Nacional de Luta da Classe Trabalhadora (FNLCT) e a Central Unitária de Trabalhadores da Venezuela (CUTV), antes do surto do coronavírus e as medidas adotadas pelo governo venezuelano.