[Curso] Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente

O curso é voltado à formação de conselheiros de direitos e tutelares e ao fortalecimento da capacidade interventiva dos conselhos de direitos, tendo foco na atuação ligada aos direitos de crianças e adolescentes. O curso busca dar suporte à atuação contextualizada à realidade brasileira, favorecendo a aplicação dos princípios do Estatuto da Criança e do Adolescente. O curso compõe a trilha Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, tendo como pré-requisito os cursos Cidadania e Direitos Humanos, Gestão de Conselhos de Direitos Humanos e Direitos Humanos da Criança e do Adolescente.

Serviço

  • Conteudista: MMFDH
  • Certificador: Enap
  • Carga horária: 20h
  • Disponibilidade: 30 dias
  • Público alvo: O curso foi desenvolvido com foco nas pessoas que atuem, ou venham a atuar, como membros de Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente. Qualquer pessoa pode realizar o curso.
  • Conteúdo programático:
    • Módulo 1 – Breve Introdução sobre Políticas Públicas de Crianças e Adolescente.
    • Módulo 2 – Do que se trata um Conselho Municipal de Direitos de Crianças e Adolescentes.
    • Módulo 3 – Principais Temas e Demandas para Atuação.
    • Módulo 4 – Limites e Possibilidades da Atuação em um Conselho de Direitos.
  • Outras informações: Você pode inscrever-se a qualquer momento e iniciar imediatamente. Realize o seu cadastro ou faça o seu login no botão Entrar. Este curso é aberto para agentes públicos em geral e cidadãos.
  • Inscreva-se acessando este link.

Teleconferência sobre cadastro de programas sociais

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) realiza, na próxima segunda-feira (15), das 10h às 11h30, teleconferência sobre revisão cadastral e auditorias do programa Bolsa Família. O evento será transmitido ao vivo pela NBR, a TV do governo federal. O objetivo é esclarecer gestores e municípios sobre ações de qualificação do Cadastro Único, incluindo a revisão cadastral, entre outros temas. A transmissão ocorrerá também pela internet. O público poderá formular perguntas e participar por telefone e correio eletrônico, que serão divulgados no início do programa.

Saiba mais – Ao vivo pela internet, nos portais da EBC e da Presidência da República. Pelo Twitter: www.twitter.com/tvnbr e YouTube: www.youtube.com/TVNBR.

Confiança do consumidor aumenta em junho após três meses de queda

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 2,3% em junho deste ano, em relação ao mês anterior. Após três meses em queda, o índice recuperou parte das perdas ao passar de 115,4 para 118 pontos. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela FGV, o resultado foi influenciado principalmente pela moderação do pessimismo em relação aos meses seguintes.

A avaliação da situação presente da economia melhorou e o Índice da Situação Atual (ISA) subiu 1,0%, ao passar de 137,2 para 138,6 pontos, ficando bem acima da média histórica de 115,1 pontos. De acordo com o levantamento, o grau de satisfação do consumidor em relação à situação financeira da família no momento atingiu o ponto máximo da série histórica iniciada em setembro de 2005: 120,4 pontos. A proporção de consumidores que avaliam a situação atual como boa também teve elevação, passando de 27,2% para 30,4%. Já a parcela daqueles que a julgam ruim diminuiu de 10,1% para 10%.

O estudo também aponta que o Índice de Expectativas (IE) avançou 3,2%, ao passar de 103,8 para 107,1 pontos. O patamar, no entanto, ainda é inferior à média histórica de 107,7 pontos. A melhora nas expectativas em relação à situação econômica local nos meses seguintes foi o quesito que mais contribuiu para a recuperação do ICC no mês: a parcela de consumidores prevendo melhora aumentou de 21,4% para 25,5%; e a dos que esperam piora diminuiu de 21,6% para 19,4%.

O ICC é composto por cinco quesitos contidos na Sondagem de Expectativas do Consumidor, pesquisa realizada mensalmente pela FGV com base em uma amostra com mais de 2 mil domicílios em sete capitais brasileiras. Para esta edição, foram coletados dados para o cálculo do índice de confiança do consumidor entre os dias 1º e 20 de junho.